Empresas Lisboa é segunda cidade mais requisitada para congressos internacionais

Lisboa é segunda cidade mais requisitada para congressos internacionais

A cidade de Lisboa é a segunda mais requisitada para congressos internacionais, subindo quatro lugares no 'ranking' da International Congress & Convention Association (ICCA), que classifica as cidades como destino atrativo para acolher eventos associativos de grande dimensão, foi hoje anunciado.
Lisboa é segunda cidade mais requisitada para congressos internacionais
Patricia De Melo Moreira
Lusa 12 de maio de 2020 às 07:17
Segundo uma nota enviada à Lusa pelo Turismo de Lisboa, com 187 eventos considerados pela ICCA, Lisboa, que em 2019 já era a sexta cidade do mundo mais requisitada para congressos internacionais, ultrapassou destinos como Berlim, Viena, Singapura ou Madrid, sendo apenas superada por Paris, que lidera o 'ranking'.

"Esta conquista é resultado do sucesso da estratégia que implementámos ao longo dos anos. Este segundo lugar vai reforçar a visibilidade internacional de Lisboa e não podia ter chegado em melhor altura para nos ajudar na retoma da atividade tão prejudicada pela crise da pandemia", afirma a diretora executiva da Associação Turismo de Lisboa, Paula Oliveira, citada na mesma nota.

 A maioria dos eventos cotados realizou-se em instituições universitárias (mais de 70), seguindo-se os hotéis (mais de 50), fundações e outras instituições culturais (cerca de 30) e o Centro de Congressos (mais de 20).

O Turismo de Lisboa adianta que a capital "é o principal destino nacional no segmento do Turismo de Negócios, com condições particularmente vantajosas no que diz respeito à relação qualidade/preço dos serviços turísticos e à experiência no acolhimento de eventos da mais diversa natureza".

Para que tal continue a ser, "durante e pós a retoma", a Associação Turismo de Lisboa defende ser "crucial que possam ser tomadas medidas que assegurem a competitividade do turismo da região de Lisboa, um setor com elevado impacto socioeconómico", sugerindo, nomeadamente, que "o IVA deste produto turístico fosse dedutível, tal como já o é em Espanha".

 

CYA // SR

Lusa/Fim



Marketing Automation certified by E-GOI