Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Empresa de energias renováveis espanhola adia IPO devido a volatilidade no setor

A fraca procura e o desempenho negativo das pares espanholas que colocaram as ações em bolsa ditaram a decisão de adiar o IPO, mas a Opdenergy mantém o objetivo de entrar em bolsa

Negócios jng@negocios.pt 05 de Maio de 2021 às 09:06
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Depois do "boom" de entradas de empresas de energias renováveis na bolsa espanhola, surge agora um revés. A Opdenergy cancelou a oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) com que previa ter as suas ações dispersas em bolsa já no final desta semana (7 de maio).

A companhia cita as "condições instáveis no mercado em geral" e em particular  entre as empresas de energias renováveis para explicar a decisão de adiar o IPO com o qual a Opdenergy previa angariar 375 milhões de euros.

De acordo com a Reuters, as ordens para subscrição de ações estavam fracas, pelo que a empresa decidiu para já cancelar a operação, embora mantenha o objetivo de dispersar capital na bolsa espanhola.

As empresas de energias renováveis têm recorrido à bolsa para financiar os seus planos de investimento, beneficiando com o apetite dos investidores por este setor. Contudo, os últimos IPO em Espanha já deram sinais menos positivos.  

A Ecoener afundou 15% na estreia em bolsa na sessão de terça-feira depois de uma procura fraca no IPO. As ações da Solaria e da Neoen (também espanholas) já perderam 30% do valor de mercado este ano.

E há mais empresas na fila em Espanha para colocar as suas ações em bolsa, com destaque para a unidade de energias renováveis da Acciona, que tem como objetivo atingir uma avaliação de 8 mil milhões de euros.

 

Em Portugal, a Altri quer o seu negócio de renováveis, a Greenvolt, a cotar em bolsa, tendo a operação sido já aprovada pelos acionistas. A Altri tem uma estrutura acionistas semelhante à da Cofina, empresa que detém o Jornal de Negócios.

Ver comentários
Saber mais IPO Opdenergy Espanha Altri
Outras Notícias