Energia Esquerda confirma descida do IVA na electricidade

Esquerda confirma descida do IVA na electricidade

O Governo e os parceiros à esquerda chegaram já a um acordo para a redução do IVA na factura da electricidade, confirmou Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda.
Esquerda confirma descida do IVA na electricidade
Bloomberg
Negócios com Lusa 28 de julho de 2018 às 14:06

"Registo que o Governo já aceitou aquilo que é uma proposta do Bloco de Esquerda [BE] há muito tempo, que é a necessidade da redução do IVA da electricidade", disse Catarina Martins, este sábado, 28 de Julho, confirmando assim a existência de um acordo para a baixa da actual taxa deste imposto de 23% no Orçamento do Estado (OE) do próximo ano.

 

"Não tem nenhum sentido que um bem essencial como a electricidade pague a taxa máxima de IVA. Devemos reverter essa que foi uma das medidas da direita e da troika, voltar à taxa reduzida de IVA e isto é uma boa notícia: o IVA da electricidade vai descer no próximo Orçamento de Estado", assegurou.

 

Estas declarações de Catarina Martins foram proferidas em Abrantes, onde a coordenadora do BE participou na manhã deste sábado no debate sobre cultura e OE no âmbito do acampamento nacional da juventude do BE.

 

"O problema não é apenas fiscal, mas também de rendas excessivas" no sector energético, apontou Catarina Martins.

 

"Por iniciativa do BE há uma comissão de inquérito parlamentar a essas rendas excessivas que já tem dados que permitem ao Governo cortar já, pelo menos, 500 milhões de euros nas rendas excessivas para o ano que vem e, por essa via, descer a factura da luz", argumentou.

Bloco defende 1% do PIB para a Cultura

 

Aos jornalistas, Catarina Martins afirmou que a Cultura em Portugal "tem tido um orçamento praticamente inexistente, 0,1% do PIB".

 

"Nem com uma lupa se consegue ver, e a cultura é parte integrante do desenvolvimento, da qualificação, da liberdade de um país", afirmou Catarina Martins, defendendo a importância do debate das políticas e reforço de verbas para o sector.

 

"Está aqui connosco [em Abrantes] quem tem estado na contestação, no activismo, a exigir aquele mínimo de decência de 1% para o orçamento da cultura", observou.

 

O fim da geringonça, a saída do Euro, a precariedade laboral ou as alterações climáticas serão alguns dos temas discutidos no 15.º acampamento Liberdade, organizado pela Coordenadora Nacional de Jovens do BE, que decorre até segunda-feira no parque de campismo de Castelo do Bode, em Martinchel, Abrantes.

 

Um dos destaques do acampamento - que reúne 230 jovens - é o painel intitulado "Fim do acordo: que outros caminhos pode seguir a esquerda em Portugal?", marcado para domingo de manhã e que terá como um dos oradores o deputado do BE José Manuel Pureza, e no qual serão discutidos os cenários pós-geringonça, a pouco mais de um ano das próximas eleições legislativas.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI