Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BPI compra Makro de Alfragide por mais de 40 milhões

A Metro, proprietária da Makro Portugal, vendeu ao fundo Imofomento o terreno e os edifícios da empresa em Alfragide, onde se encontra a sua primeira loja em território português, numa operação de “sale & lease back”.

A Makro Portugal vendeu os seus imóveis de Alfragide a um fundo imobiliário do BPI por mais de 40 milhões de euros.
Rui Neves ruineves@negocios.pt 08 de Julho de 2021 às 10:53
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A gigante grossista alemã Metro AG, que detém a Makro, filial portuguesa que possui dez lojas em território nacional, vendeu o terrenos e os edifícios da empresa em Alfragide, incluindo o edifício de escritórios e estabelecimento comercial. O comprador é o Imofomento, fundo de investimento imobiliário do BPI, que pagou mais de 40 milhões de euros.

 

Tratou-se de uma operação de "sale & lease back", pelo que "a Makro Portugal continuará a ser a arrendatária do imóvel, garantindo a sua operação naquela localização a longo prazo", avança a empresa em comunicado emitido esta quinta-feira, 8 de julho.

"A Makro Portugal, em conjunto com a Metro Properties, entidade gestora do imobiliário da Metro AG, acaba de vender ao Fundo de Investimento Imobiliário Aberto Imofomento, gerido e representado pelo BPI Gestão de Ativos, o local onde se encontra a sua primeira loja em território português, em Alfragide, por mais de 40 milhões de euros", revela a grossista germânica.

 

O ativo agora transacionado, numa operação mediada pela JLL, tem uma área de 25.400 metros quadrados, dos quais 21 mil são dedicados à loja e os restantes 4.400 ao edifício de escritórios.

 

"Esta transação comprova o excelente resultado que a Makro Portugal tem conseguido ao longo dos últimos anos e em especial durante o período pandémico. Esta aposta da Metro AG no mercado português volta a reiterar a confiança do grupo no nosso país", enfatiza David Antunes, CEO da Makro Portugal.

Descrevendo o processo como "muito competitivo, tendo o ativo gerado bastante interesse entre os investidores", Fernando Ferreira, "head of capital markets" da JLL, sublinhou que se tratou de "uma oportunidade de investimento muito atrativa, pois envolveu uma operação de ‘sale & leaseback’ a longo prazo com uma empresa internacional sólida e líder de mercado".

 

"Além disso", garantiu o mesmo responsável da JLL, "o próprio imóvel tem excelentes características e tem sido alvo de investimento contínuo, estando situado numa localização comercial estratégica na região de Lisboa".

 

Presente desde 1989 no nosso país, onde emprega cerca de mil pessoas, a Makro Portugal fechou o último exercício (2019/20) com uma faturação de 351 milhões de euros. Já a casa-mãe metro AG, que opera em 37 países e conta com um efetivo de mais de 97 mil trabalhadores, registou vendas na ordem dos 25,6 mil milhões de euros.   

Ver comentários
Saber mais Makro metro BPI Imofomento David Antunes
Outras Notícias