Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Tecnológica portuguesa lança plataforma de combate à corrupção

Através da plataforma MAGNO é possível medir o risco das transações superiores a mil euros.

Vitor Mota/CM
Negócios jng@negocios.pt 15 de Outubro de 2020 às 15:31
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A plataforma portuguesa MAGNO é uma solução que procura combater a corrupção e a fuga ao fisco ao permitir a identificação e o registo de clientes e avaliar os riscos associados a transações superiores a mil euros.

 

Esta tecnologia foi desenvolvida pela portuguesa PEPData, "com o objetivo de garantir às empresas nacionais que cumprem, na totalidade, as obrigações legais no combate ao Branqueamento de Capitais (BC) e Financiamento do Terrorismo (FT). Além disso, é também uma forma de apoiar as autoridades nesta luta contra a corrupção, que custa, por ano, 18,2 mil milhões de euros aos portugueses, um valor superior ao destinado, por exemplo, à área da Saúde no Orçamento do Estado", explica Filipe Cruz, CEO da empresa.

 

A MAGNO facilita a transformação digital das empresas, desburocratizando os seus processos. Entre as funcionalidades permitidas pela plataforma destacam-se a análise de risco automática, a atualização permanente dos dados, o rating dos clientes e transações e a atualização legislativa automática.

 

Esta iniciativa surge numa altura em que o combate ao branqueamento de capitais se encontra em discussão pública. Com o objetivo de minimizar este problema, caso as empresas não cumpram com a legislação, preveem-se coimas que podem atingir os 5 milhões de euros; a interdição da atividade e pena criminal, em casos extremos.

 

A plataforma encontra-se disponível em quatro versões (MAGNO free, MAGNO smart, MAGNO expert e MAGNO enterprise), sendo uma delas totalmente gratuita. Para Cruz, este é "um sinal claro de que, numa altura em que estamos a discutir a Estratégia Nacional de Combate à Corrupção 2020-2024, fazemos parte da solução no combate a este flagelo que atinge diariamente a nossa sociedade".

Ver comentários
Saber mais MAGNO Filipe Cruz crime lei e justiça corrupção crime económico
Mais lidas
Outras Notícias