Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Robin Bienenstock renuncia à administração da Oi

A gestora, que entrou para o Conselho de Administração da empresa brasileira em 2014 vai sair da sociedade de telecomunicações, onde será substituída por Marcos Grodetzky.

Reuters

A Oi anunciou esta segunda-feira, dia 13 de Junho, que Robin Bienenstock renunciou ao cargo de membro do Conselho de Administração da empresa brasileira. "Com a sua renúncia, o Sr. Marcos Grodetzky, anteriormente suplente da Sra. Robin Bienenstock, passará a conselheiro titular", salientou a Oi em comunicado.


A gestora é uma especialista no sector, que foi escolhida para o cargo em 2014, indicada pela Andrade Gutierrez. Com dupla nacionalidade (inglesa e canadiana), é formada em Política, Filosofia e Economia pela Universidade de Oxford, tem um mestrado em Economia pela Universidade Bocconi, de Milão, e outro em Relações Internacionais pela Universidade de Toronto. 


A saída de Bienenstock segue-se à renúncia do CEO da empresa, Bayard Gontijo, que foi anunciada no dia 10 de Junho.


"O conselho de administração expressa o seu mais profundo agradecimento ao dr. Bayard de Paoli Gontijo pela sua integral dedicação à Oi durante todos os 14 anos em que participou do seu quadro de colaboradores e especialmente durante o seu mandato como Director Presidente, reconhecendo as contribuições e resultados significativos atingidos pela Oi em seu processo de transformação operacional", sublinhou o comunicado da empresa nesse dia.


Foi substituído por Marco Norci Schroeder, que era até agora director administrativo financeiro, função que irá acumular com a de CEO.

Marco Norci Schroeder começou na Oi como director de controladoria entre 2002 e 2011. Em 2014, voltou à empresa como director financeiro Internacional, tendo actuado como CFO da PT Portugal até à venda da empresa à Altice em Junho do ano passado.


A Oi viu o seu rating cortado recentemente, devido ao elevado endividamento da empresa brasileira. 

A dívida líquida da brasileira, sublinhe-se, aumentou 25,5% no final de Março, para 40,8 mil milhões de reais (10,2 mil milhões de euros).

Ver comentários
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio