Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Tripulantes da TAP marcam nova reunião de emergência para voltar a analisar proposta da empresa

A Assembleia Geral foi marcada para esta segunda-feira, depois de os associados do SNPVAC terem chumbado a proposta laboral apresentada pela transportadora.

O anúncio da greve levou a TAP a cancelar 360 voos.
Miguel Baltazar
Paulo Ribeiro Pinto paulopinto@negocios.pt 22 de Janeiro de 2023 às 15:30
Os tripulantes da TAP voltam esta segunda-feira a analisar a mais recente proposta da empresa para evitar a greve no final deste mês, depois de terem chumbado a iniciativa na passada quinta-feira.

De acordo com a convocatória do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), a que o Negócios teve acesso, são chamados "os Associados da TAP - Transportes Aéreos Portugueses, SA, para se reunirem em Assembleia Geral de Emergência 2.ª sessão no próximo dia 23 de janeiro, às 11:30". A nota refere um único ponto na agenda: "apresentação, discussão e votação da proposta apresentada pela TAP".

Na passada quinta-feira, os associados do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil rejeitaram pela segunda vez, uma proposta da TAP, que ia ao encontro de 12 das 14 reivindicações do SNPVAC, na tentativa de evitar uma nova greve de sete dias. De acordo com fonte do sindicato, 857 associados votaram contra a proposta da TAP, 29 a favor e nove abstiveram-se, mantendo-se o pré-aviso de greve entre os dias 25 e 31 deste mês.

Na sexta-feira, os associados do SNPVAC voltou a reunir-se, mas o encontro terá sido inconclusivo. Agora, voltam a uma nova Assembleia Geral para analisar a proposta da administração da transportadora aérea.

A greve dos tripulantes de cabine da TAP vai levar ao cancelamento de 1.316 voos, afetando 156 mil passageiros, de acordo com as estimativas da empresa.

Em comunicado, divulgado na passada quinta-feira, a TAP adiantou que a paralisação "representa um custo total direto estimado de 48 milhões de euros (29,3 milhões em receitas perdidas e 18,7 milhões em indemnizações aos passageiros)", além de "perdas de 20 milhões adicionais devido ao impacto potencial nas vendas para outros dias e à sub-optimização de outros voos, com passageiros reacomodados".


(Notícia atualizada às 15:40 com mais informação)
Ver comentários
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio