Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Contas à ordem: Grátis só na banca online

É praticamente impossível ter uma conta sem custos. Mas, se está à vontade com a Internet, o ActivoBank não cobra cartões, despesas de manutenção, nem transferências online.

Deco Proteste 28 de Julho de 2014 às 11:51
  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...

Se até há uns anos ter dinheiro no banco significava receber juros, mesmo numa conta à ordem, - uma vez que o cliente punha os seus recursos à disposição do banco para este os poder utilizar na concessão de crédito ou em investimentos -, nos últimos anos, a tendência inverteu-se.


Nos dias que correm, só por ser titular de uma conta à ordem incorre em despesas, mesmo que não adquira nenhum produto ou serviço. As comissões de manutenção vieram onerar quem possui conta e são cobradas, em geral, em valor inversamente proporcional ao saldo da conta. Ou seja, penalizam quem tem menos dinheiro. Todos os bancos, à exceção do ActivoBank, Best Bank e BigOnline, cobram a um cliente com saldo médio mensal de 500 euros por ter conta aberta. Os valores variam entre 20,80 euros anuais (Banco BIC) e 124,80 euros (Banco Atlântico Europa). Contudo, se o saldo médio do cliente rondar os 2000 euros mensais, já sobe para oito o número de instituições que não exigem despesas de manutenção.


Com ordenado a cair na conta não paga comissões
Não existem muitas formas de evitar as comissões de manutenção: domiciliar o ordenado, a pensão ou a totalidade do património financeiro é a exceção. Quase todos os bancos premeiam quem o faz, uma vez que garantem uma maior fidelização do cliente. Não só não aplicam despesas de manutenção, como disponibilizam vários produtos e serviços de forma gratuita ou a um custo inferior. É o caso dos cartões de débito e de crédito, das transferências interbancárias pela Net, dos cheques e do acesso a um descoberto autorizado proporcional ao valor do vencimento (permite levantar dinheiro ou fazer pagamentos a crédito). A maioria dos bancos exige um valor mínimo de vencimento para o cliente aceder às vantagens das contas-ordenado: entre 250 (ActivoBank e BigOnline) e 750 euros (Best Bank). Se for cliente do Barclays, da Caja Duero, do Crédito Agrícola e do Atlântico Europa, nem a domiciliação o salva dos custos de manutenção.


Aposta nos relacionamentos à distância
Se não pode ou não quer domiciliar o ordenado, a solução para fugir aos custos de manutenção são os bancos online - Activobank, Best Bank e BigOnline. Em qualquer banco dito tradicional, terá de pagar.


O homebanking e o Multibanco devem ser os meios preferenciais de movimentar a conta. As transferências pelo Multibanco ainda são gratuitas em todos os bancos e, ao usar o homebanking, poupa em média 4,87 euros por cada transferência face ao que pagaria ao balcão. A economia chega aos 5,14 euros se tiver o ordenado domiciliado. Entre as instituições analisadas que cobram esta comissão, transferir custa em média 80 cêntimos (no pior dos cenários, no BBVA, paga 1,82 euros).


Contas-pacote não compensam
Banco BIC, Banco Popular, BES, Crédito Agrícola, Millennium bcp, Montepio e Santander Totta dispõem de contas-pacote ou de serviço. Estas contas começaram a aparecer nos últimos anos sob o argumento de disponibilizarem um conjunto de produtos e serviços a troco de uma mensalidade. Isenção das comissões de manutenção, das anuidades dos cartões de débito e de crédito, oferta de cheques, transferências gratuitas pela Net, bonificação nas taxas de juro, redução de custos em processos de crédito ou acesso a seguros a preços reduzidos são disso exemplo.


Deter uma destas contas custa entre 24,96 (BIC Mais e Montepio Consigo) e 74,88 euros (Banco Popular), para quem tem ordenado domiciliado, e entre 37,44 (Banco BIC) e 99,84 euros (Cliente Frequente do Millennium bcp), para quem não recebe o vencimento na conta. Comparadas com a oferta normal dos bancos, as contas-pacote só interessam a clientes que não domiciliem o vencimento e façam várias transferências interbancárias através do homebanking. Quem pode receber o vencimento ou a pensão através da conta obtém condições idênticas nas contas-ordenado tradicionais, ficando da mesma forma isento, por exemplo, de custos de manutenção. Assim, não é de estranhar que as contas-pacote não sejam Escolha Acertada. A exceção é a BES 100%, que se torna vantajosa para quem ganha, pelo menos, 500 euros e faça compras no valor mínimo de 50 euros mensais com o cartão de débito ou crédito.

 

 

 

_______________________________

 

O nosso estudo


Avaliámos 41 contas à ordem Para analisar quanto custa ter uma conta à ordem, em abril, enviámos questionários e estudámos os preçários de 19 instituições bancárias. Avaliámos contas standard, ordenado e pacote ou de serviço, num total de 41 produtos. Objetivo: determinar o custo com a manutenção da conta e com a utilização dos principais produtos e serviços associados - cartões de débito e de crédito, e transferências. Tivemos em conta os cartões de débito mais baratos e os de crédito da gama classic. Assumimos que as transferências são pontuais e feitas para outro banco, através do NIB ou do IBAN. No caso da utilização de crédito automático, a simulação é para um descoberto de 250 euros por 10 dias em cada mês.


Definimos Escolhas Acertadas tendo em mente o tipo de utilização que os clientes mais fazem da conta à ordem e considerámos duas formas de a movimentar: ao balcão e online. Quando a Escolha Acertada recai sobre um banco que opera pela Net, apresentamos uma alternativa dentro da banca tradicional.

 

 

 

 

 

 

Quanto custa movimentar a conta?

 

10,65€

Anuidade média do cartão de débito
No ActivoBank, Barclays e Deutsche Bank, o cartão é grátis. Banco Best, Banco BPI e Montepio não cobram se domiciliar o ordenado.

 

Até 1,04€
Transferências pela Net
No ActivoBank, Best Bank, Banco BPI, BES e Crédito Agrícola, as transferências são sempre grátis. Banco BIC, BBVA, Nova Galicia e Santander Totta não cobram se domiciliar o ordenado.

 

O Deutsche Bank cobra 50 cêntimos por transferência, mesmo a quem domicilia o ordenado. No Barclays, no BigOnline e na Caixa Geral de Depósitos, transferir custa sempre 52 cêntimos.

 

O Banco Popular cobra 94 cêntimos. No Atlântico Europa, na Caja Duero, no Millennium bcp e no Montepio, o custo sobe para 1,04 euros.

 

5,52€
Custo médio para transferir ao balcão
Todos os bancos cobram se quiser fazer uma transferência ao balcão: começa nos 3,12 euros no Barclays e atinge os 10,40 euros no BigOnline e no Deutsche Bank.

 

 

 

Este artigo foi redigido ao abrigo do novo acordo ortográfico.

 

 

Ver comentários
Outras Notícias