Bolsa PSI-20 encerra em queda com Nos a perder 5% e Mota-Engil a cair 8,5%

PSI-20 encerra em queda com Nos a perder 5% e Mota-Engil a cair 8,5%

A bolsa nacional acompanhou a tendência negativa das praças europeias e desvalorizou pela primeira vez em quatro sessões.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 13 de março de 2018 às 16:53

A bolsa nacional encerrou em queda esta terça-feira, 13 de Março, pela primeira vez em quatro sessões, com o PSI-20 a desvalorizar 0,23% para 5.425,62 pontos. Das 18 empresas que formam o principal índice nacional, dez encerraram em queda e oito em alta.

 

Na Europa, os principais índices bolsistas também seguem com sinal vermelho, corrigindo de seis sessões consecutivas de ganhos, a mais longa série de valorizações desde Outubro do ano passado. À excepção do mineiro, todos os grandes sectores estão no vermelho.

 

Esta evolução acontece num dia em que os dados da inflação nos Estados Unidos atenuaram os receios dos investidores em torno do crescimento acelerado dos preços, mas acabaram por perder protagonismo para a decisão de Trump de substituir Rex Tillerson pelo até agora director da CIA, Mike Pompeo, no cargo de secretário de Estado norte-americano.

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, desce 1,08% para 375,12 pontos.

 

Em Lisboa, o PSI-20 foi penalizado sobretudo pela Nos e pela Mota-Engil. Depois de seis sessões consecutivas de ganhos, a operadora liderada por Miguel Almeida desvalorizou 4,98% para 4,846 euros. Antes da abertura da sessão de ontem, a Nos revelou que fechou o ano de 2017 com um resultado líquido de 124 milhões de euros, o que representa um aumento de 37,3% face ao ano anterior.

 

Já a Mota-Engil afundou 8,49% para 3,505 euros no dia em que o Santander reviu em baixa a recomendação e o preço-alvo para as acções. A recomendação desceu de "comprar" para "manter" e o preço-alvo subiu de 3,10 euros para 4,50 euros, de acordo com a nota de "research" citada pela Bloomberg e à qual o Negócios não teve acesso.

 

A contribuir para a queda da bolsa de Lisboa estiveram também a Jerónimo Martins, a Sonae, os CTT e a Pharol.

 

A Jerónimo Martins cedeu 0,91% para 15,205 euros, a Sonae perdeu 1,22% para 1,132 euros e os CTT desvalorizaram 2,48% para 3,14 euros. Já a antiga PT SGPS recou 3,98% para 24,1 cêntimos.

 

A evitar uma maior descida do PSI-20 estiveram, por outro lado, o BCP e a EDP. O banco liderado por Nuno Amado subiu 2,07% para 29,1 cêntimos, depois de o Alphavalue ter melhorado a avaliação do banco em 24%, passando o preço-alvo para as acções de 0,25 euros para 0,31 euros. A recomendação também melhorou de "vender" para "comprar", de acordo com a informação disponibilizada pela Bloomberg.

 

A EDP ganhou 1,33% para 3,05 euros, depois de ter chegado a subir um máximo de 2,23% para 3,077 euros, o valor mais alto desde Novembro do ano passado. A eléctrica completou, assim, a oitava sessão consecutiva de ganhos, que elevou a capitalização bolsista da empresa para mais de 11.141 milhões de euros. 

 

Ainda na energia, a EDP Renováveis avançou 0,61% para 7,445 euros, a Galp Energia ganhou 0,07% para 15,08 euros e a REN valorizou 0,24% para 2,50 euros.




Saber mais e Alertas
pub