Bolsa PSI-20 sobe pela quarta sessão com Ibersol em novo máximo histórico

PSI-20 sobe pela quarta sessão com Ibersol em novo máximo histórico

A praça lisboeta fechou o dia em no verde, numa sessão em que as principais praças europeias transaccionaram em terreno negativo. No segundo dia desde que integra o PSI-20, a Ibersol atingiu nova cotação recorde.
A carregar o vídeo ...
David Santiago 21 de março de 2017 às 16:41

O PSI-20 encerrou a sessão bolsista desta terça-feira, 21 de Março, a ganhar 0,09% para 4.635,88 pontos, com sete cotadas a negociar em alta e as restantes 12 em queda, isto num dia em que a generalidade das principais praças europeias registaram perdas, penalizadas em especial pela desvalorização do sector mineiro do Velho Continente.

 

No plano nacional o destaque da sessão cabe à Ibersol que, no segundo dia de negociação no principal índice nacional, voltou a estabelecer um novo máximo histórico, à imagem do sucedido na segunda-feira, ao negociar nos 15,15 euros. Ainda assim a cotada fechou a sessão a ceder 0,07% para 15,10 euros.    

A impulsionar a bolsa lisboeta esteve o BCP e o grupo EDP, com o banco liderado por Nuno Amado a ganhar 3,25% para 0,1683 euros, a EDP a avançar 0,76% para 2,899 euros e a EDP Renováveis a valorizar 0,13% para 6,12 euros.

Já a Novabase, que na segunda-feira também transaccionou em máximos naquela que foi a primeira sessão desde que integra o principal índice nacional, fechou a perder 1,97% para 2,99 euros, já depois de esta terça-feira o CaixaBI ter elevado a avaliação das acções da Novabase, de 2,90 euros para 3,45 euros, uma melhoria de 19%.

A travar uma valorização mais pronunciada da bolsa nacional esteve o sector do retalho, com a Jerónimo Martins a recuar 0,77% para 15,55 euros e a Sonae a resvalar 1,14% para 0,871 euros. 

Nota negativa ainda para a Galp Energia que deslizou 0,89% para 13,37 euros, seguindo a tendência de desvalorização do petróleo nos mercados internacionais, numa altura em que em Londres o Brent cai 0,80% para 51,16 dólares por barril. A desvalorização do crude acontece no dia em que uma sondagem feita pela Bloomberg conclui que as reservas petrolíferas norte-americanas terão crescido, na semana passada, para um valor recorde. 

Por fim, a Corticeira Amorim caiu 0,30% para 10,07 euros depois de também ontem ter voltado a estabelecer um novo máximo de sempre. 

(Notícia actualizada às 16:51)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI