Bolsa Wall Street à procura de direção com olhos postos na Fed

Wall Street à procura de direção com olhos postos na Fed

As bolsas do outro lado do Atlântico fecharam sem rumo definido, numa altura em que todos os olhares se voltam para a Reserva Federal, à espera da confirmação de um corte dos juros. A semana também continua a ser próspera em resultados, com as contas da Apple amanhã a dominarem igualmente as atenções.
Wall Street à procura de direção com olhos postos na Fed
Reuters
Carla Pedro 29 de julho de 2019 às 21:06

O Dow Jones terminou a somar 0,11% para 27.221,41 pontos e o Standard & Poor’s 500 cedeu 0,16% para 3.020,97 pontos.

 

Por seu lado, o tecnológico Nasdaq Composite desvalorizou 0,44%, para 8.293,33 pontos.

 

Na passada sexta-feira, tanto o S&P 500 como o Nasdaq estabeleceram novos máximos históricos.

 

Esta semana, todos os caminhos vão dar à sede do banco central norte-americano, em Washington. É lá que tem início amanhã a esperada reunião de dois dias da Fed, onde os responsáveis pela política monetária do país poderão decidir-se por um corte dos juros.

 

A convicção de que a Reserva Federal reduzirá a taxa diretora em pelo menos 25 pontos de base é bastante elevada. Mas a autoridade monetária liderada por Jerome Powell poderá mesmo decidir-se por um corte de 50 pontos base. Na quarta-feira, pelas 19:00 de Lisboa, será dada a conhecer a decisão.

 

Por outro lado, prossegue a bom ritmo a divulgação de contas das cotadas norte-americanas, com destaque para a Apple, que amanhã reporta os seus números após o fecho de Wall Street.

Um terceiro fator que influenciará a tendência bolsista será o das conversações EUA-China.«, com Washington e Pequim a retomarem amanhã as conversações com vista à obtenção de um acordo. O representante norte-americano do Comércio, Robert Lighthizer, e a sua equipa vão reunir-se com as suas contrapartes em Xangai.

 

Será o primeiro encontro entre os representantes das duas maiores economias do mundo desde maio, altura em que as negociações foram suspensas devido a um intensificar de fricções entre ambas as partes.

 
Do lado das perdas na sessão de hoje, destaque para o Citigroup. As ações do banco fecharam a cair 0,55% para 71,76 dólares, depois de ter sido anunciado que o Citi pretende eliminar centenas de empregos na área do 'trading' em todo o mundo.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI