Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Cai mais um gigante cripto: BlockFi pede proteção contra credores

A empresa já tinha dado sinais ao mercado ao ter congelado o levantamento de criptoativos. A plataforma deve à colapsada à FTX 400 milhões de dólares. A lista de credores tem mais de 100 mil nomes.

O colapso da Terra USD esteve no centro do “crash” do mercado cripto. As stablecoins chegaram a ser vistas como porto seguro, mas são agora olhadas com desconfiança e medo.
Dado Ruvic/Reuters
Fábio Carvalho da Silva fabiosilva@negocios.pt 28 de Novembro de 2022 às 17:37

Depois da FTX foi a vez da plataforma de empréstimos cripto BlockFi pedir proteção contra credores, ao abrigo do capítulo 11 da lei de insolvência nos Estados Unidos. O pedido deu entrada no tribunal de New Jersey e surge cerca de um mês depois do colapso da FTX.

 

Nos documentos que deram arranque ao processo judicial, e que são citados por vários órgãos da imprensa internacional, a empresa dá conta de uma lista de mais de 100 mil credores. Na tabela, figura como segundo maior credor, a FTX com 275 milhões de dólares em dívida para com a plataforma até há bem pouco tempo liderada Sam Bankman-Fried.

 

A lista é liderada pela Ankura Trust, uma companhia dedicada à representação de credores, com um crédito de 729 milhões de dólares. A BlockFi já tinha emitido um alerta vermelho ao mercado, ao ter congelado o levantamento de ativos da plataforma.

 

Em julho, a FTX assinou um acordo com a BlockFi para a concessão de uma linha de crédito de 400 milhões de dólares, com opção de compra da plataforma por parte da FTX até 240 milhões em caso de incumprimento. Isto depois de o colapso do mercado cripto na primeira metade do ano ter sido agravado pelo tombo do ecossistema Terra USD e  atirado a plataforma ao chão.

 

Risco de contágio continua

O colapso da FTX começa a contagiar outros "players" do mercado. A crise de confiança que se viveu durante o "crash" do ecossistema Terra USD voltou a assombrar, tendo já várias plataformas congelado os levantamentos de ativos. Além da BlockFi, a Genesis, uma plataforma amplamente dedicada a empréstimos cripto, suspendeu as operações de resgate de ativos, justificando a decisão "com um número anormal de pedidos de levantamento".

 

Os pedidos de resgate realizados no braço de depósitos cripto da plataforma, a Genesis Global Capital, excederam a liquidez da empresa, pelo que a companhia, em conjunto com uma equipa de consultores, está a estudar uma série de opções para tentar voltar à normalidade, de acordo com o CEO interino Dear Islim, citado pela Bloomberg. Também a Gemini Trust, liderada pelos gémeos Winklevoss, decidiu congelar os levantamentos de ativos do programa Gemini Earn, dedicado a depósitos que remuneram juros pelos "tokens" detidos. A empresa garantiu que esta decisão não afeta outros produtos nem serviços.

 

Por seu turno, também a plataforma AXX, com sede em Hong Kong, suspendeu o levantamento de ativos esta segunda-feira durante dez dias, depois de informar que está com falta de liquidez. "Se a AAX não conseguir obter financiamento que nos permita reiniciar as operações, estamos comprometidos em iniciar os procedimentos legais para garantir a distribuição dos ativos", informou a empresa citada pela Bloomberg.

Ver comentários
Saber mais Ankura Trust New Jersey BlockFi FTX EUA Terra USD Genesis Global Capital Gemini Bloomberg economia negócios e finanças política mercado e câmbios bolsa minérios e metais indústria transformadora política (geral) política (geral)
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio