Matérias-Primas Ritmo de produção de lítio supera procura por veículos elétricos

Ritmo de produção de lítio supera procura por veículos elétricos

As empresas de prospeção de lítio estão a preparar-se para um futuro mercado em expansão, no qual os veículos elétricos serão usados pela maioria dos motoristas. Mas há pedras no caminho: os preços estão a cair com o forte ritmo de produção e a diminuição da procura chinesa.
Ritmo de produção de lítio supera procura por veículos elétricos
Bloomberg
Bloomberg 03 de agosto de 2019 às 18:00

Entre meados de 2015 e meados de 2018, os preços do lítio, componente fundamental para as baterias recarregáveis, quase triplicaram com a frota mundial de veículos elétricos a atingir a marca de 5 milhões, o que levou a indústria automóvel a preocupar-se com o fornecimento de matérias-prima.

 

A tendência levou à abertura de seis minas de lítio na Austrália desde 2017, já que as empresas acorreram para lucrar com uma tecnologia em evolução.

 

No entanto, apesar de esperado, o "boom" dos veículos elétricos ainda não chegou. O crescimento das vendas de carros elétricos perde força na China, o principal mercado do segmento, e o impulso para abastecer a cadeia de suprimentos de baterias diminuiu. Resultado: uma queda de 30% no preço do lítio, o que levou muitos especialistas a questionarem-se sobre qual será o seu limiar inferior (o chamado ‘fundo’, nível a partir do qual voltarão depois a subir).

 

"Os últimos dados relativos aos veículos elétricos revelaram uma desaceleração do crescimento, de onde se deduz que, além do excesso de oferta, a procura agora é também um problema", escreveram Vivienne Lloyd e outros analistas do Macquarie Capital num relatório divulgado em julho. "O principal interesse para os investidores deve ser o de quem provavelmente sobreviverá", sublinharam.

 

No primeiro trimestre de 2019, as vendas de veículos elétricos na China subiram 90% em comparação com o ano anterior. Embora o ritmo seja impressionante, é metade da expansão observada entre 2017 e 2018, segundo Nikolas Soulopoulos, analista da BloombergNEF em Londres.

 

Enquanto isso, a produção de lítio na Austrália, o maior produtor mundial, deverá crescer cerca de 23% nos próximos dois anos. E, no mês passado, Baldo Prokurica, ministro da Mineração do Chile, que é o segundo maior produtor global, disse que o atual governo pretendia dobrar a produção chilena num prazo de quatro anos.

(Texto original: Lithium Industry Buildup Is Outracing the Electric-Car Boom)




Marketing Automation certified by E-GOI