Mercados num minuto Abertura dos mercados: Resultados dividem bolsas e incerteza no Brexit penaliza libra  

Abertura dos mercados: Resultados dividem bolsas e incerteza no Brexit penaliza libra  

As bolsas estão a evoluir ao sabor dos resultados que as cotadas estão a apresentar, numa altura em que os investidores estão já de olhos postos na reunião da Fed da próxima semana. O petróleo está em queda e o ouro em alta.  
Abertura dos mercados: Resultados dividem bolsas e incerteza no Brexit penaliza libra   
A Fed deverá anunciar um novo corte de juros na próxima semana
Reuters

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,08% para 5.086,06 pontos

Stoxx 600 desvaloriza 0,12% para 396,89 pontos

Nikkei valorizou 0,22% para 22.799,81 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos somam 0,7 pontos para 0,185%

Euro sobe 0,09% para 1,1114 dólares

Petróleo em Londres cai 0,2% para os 61,53 dólares por barril

 

InBev afunda 9% após cortar previsões

As bolsas europeias continuam a evoluir ao sabor dos resultados das empresas e hoje há boas e más notícias, pelo que os índices acionistas negoceiam sem direção e com fracas oscilações, embora a tendência seja sobretudo negativa.

 

A norte-americana Amazon anunciou ontem, após o fecho da sessão, a primeira queda de lucros em dois anos, o que está a pressionar as tecnológicas. Já hoje a Anheuser-Busch InBev anunciou que os lucros vão crescer de forma moderada e abaixo das previsões anteriores, conduzindo as ações da maior cervejeira do mundo a uma queda de 9%.

 

Pela positiva destaque para as fabricantes de artigos de luxo, já que Kering (dona da Gucci) e a Moncler anunciaram resultados positivos e estão em forte alta na bolsa.

 

O Stoxx600 segue a cair 0,12% para 396,89 pontos, sendo que há índices em terreno positivo, como é o caso do espanhol, francês e o português. O PSI-20 avança 0,08% e está a ser impulsionado pela EDP Renováveis e outros pesos pesados como a Galp Energia e EDP.

 

Os investidores estão já a focar atenções na reunião da Reserva Federal dos EUA, que se irá realizar nos próximos dias 30 e 31 de outubro, onde se espera que Jerome Powell, o presidente da instituição, anuncie o terceiro corte na taxa de juro diretora do país este ano. Depois dos cortes de julho e setembro, os analistas estão a antecipar uma nova redução por parte do banco central norte-americano para um intervalo entre 1,5% e 1,75%.

Libra penalizada por cenário de incerteza no Brexit

No mercado cambial a libra continua a centrar atenções, já que a moeda britânica está agora pressionada pelo avolumar de incerteza no processo de saída do Reino Unido da União Europeia. Isto porque o primeiro-ministro Boris Johnson deverá apresentar uma moção no parlamento em que propõe a realização de eleições gerais antecipadas a 12 de dezembro.

 

A libra já ontem tinha reagido em queda a esta notícia e esta sexta-feira cede 0,13% para 1,2834 dólares. No câmbio do euro face ao dólar a moeda europeia continua a recuperar terreno, com uma valorização de 0,09% para 1,1114 dólares.

 

Juros em alta ligeira

No mercado da dívida soberana a tendência é de agravamento ligeiro nas taxas de juro na ressaca da última reunião do Banco Central Europeu com Mario Draghi como presidente, mas sem novidades relevantes de política monetária. A "yield" das obrigações portuguesas a 10 anos avança 0,7 pontos base para 0,185%, em Espanha somam 1,1 pontos base para 0,24% e na Alemanha o agravamento é de 1,1 pontos base para -0,396%.

 

Petróleo arrefece, após ganho de ontem

Os preços do petróleo seguem hoje em queda, depois de ontem terem valorizado cerca de 1%, reagindo a uma queda nos "stocks" dos EUA e a uma interrupção num oleoduto numa importante região do Mar do Norte.

Assim sendo, hoje o Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, cai 0,2% para os 61,53 dólares por barril, e o "crude" norte-americano WTI escorrega 0,3% para os 56,05 dólares por barril.

 

Ouro acima dos 1.500 dólares. Prata sobe

O euro encaminha-se para um ganho semanal e negoceia acima da barreira dos 1.500 dólares, numa altura em que os investidores se preparam para outra ronda de reuniões dos bancos centrais, com os recentes dados económicos mais fracos nos EUA a reforçarem a expectativa de um novo corte de taxas por parte da Fed.

O metal precioso aprecia 0,11% para os 1.505 dólares por onça, enquanto a prata sobe 1,33% para os 18,04 dólares por onça.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI