Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo contente com decisão da DBRS, mas quer avaliação mais positiva

Para o Ministério das Finanças, a manutenção do "rating" e da recomendação sobre a dívida portuguesa feita pela DBRS valida o caminho seguido pelo Executivo. Mas para o Governo o "esforço de trabalhadores e empresas" merece uma avaliação mais positiva.

Mário Centeno
David Santiago dsantiago@negocios.pt 21 de Outubro de 2016 às 19:05
  • Assine já 1€/1 mês
  • 31
  • ...

Foi pronta e repleta de satisfação a reacção do Governo à decisão da agência DBRS de reiterar o "rating" de Portugal em BBB (baixo)  – último patamar de investimento – e a perspectiva estável sobre a dívida pública portuguesa. Em comunicado enviado esta sexta-feira, 21 de Outubro, às redacções, o Ministério das Finanças realça que a manutenção da classificação da República portuguesa "demonstra a justeza do caminho desenhado pelo Governo para promover a recuperação económica".

 

No entanto, o Ministério tutelado por Mário Centeno considera que "o crédito que hoje é dado ao esforço de trabalhadores e empresas (…) deve ter tradução numa avaliação mais positiva". Ou seja, o Executivo acredita que a manutenção do "rating" decretado pela agência canadiana dá razão à estratégia económica seguida: "Esta avaliação aumenta a nossa confiança e a dos mercados nas políticas escolhidas para o país".

 

Ainda assim a nota dominante da reacção do Governo é de "satisfação" por este "reconhecimento". Reconhecimento que o Executivo chefiado por António Costa alarga ao presidente do Banco Central Europeu (BCE), que ainda na passada quinta-feira salientou que os "progressos notáveis" conseguidos por Portugal deveriam ser "reconhecidos", isto quando instado a pronunciar-se sobre aquela que seria a decisão da DBRS.

 

Os elogios ao compromisso de Lisboa em implementar medidas de ajustamento orçamental terão ainda contribuído para que as Finanças considerem que o Orçamento do Estado para 2017 – ainda à espera de aprovação final – confirma um "esforço de sustentabilidade sem paralelo na área do euro".

 

Quanto ao mais, o Governo reafirma que "o compromisso do país em honrar as suas responsabilidades é inalienável", bem como o compromisso em atingir as "metas traçadas nos Programas de Estabilidade e Nacional de Reformas", através de mais "crescimento económico inclusivo", com mais emprego e mais rendimento para trabalhadores e empresas.

 

Por fim, o comunicado do Governo salienta os "indicadores de confiança" resultantes dos dados económicos esta semana divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), concluindo que "a consolidação orçamental num contexto de crescimento e coesão social é possível e desejável".

O anúncio feito pela DBRS - a única agência de "rating", entre as quatro que avaliam a dívida pública portuguesa, que atribui grau de investimento à dívida pública portuguesa - permitirá que o BCE continue a comprar obrigações de dívida lusa no âmbito do programa de compra de activos em curso e a aceitá-las como colateral das operações de refinanciamento dos bancos portugueses junto de Frankfurt.

Ver comentários
Saber mais Governo Ministério das Finanças DBRS Mário Centeno António Costa BCE Mario Draghi Orçamento do Estado Programas de Estabilidade
Mais lidas
Outras Notícias