Rita Sá Coimbra
Rita Sá Coimbra 10 de julho de 2019 às 18:01

Associativismo com alma no mundo

A DUNA - Associação de Eco-Consciência é uma associação ambientalista com alma no meio do mundo, de horizontes alargados, sem medo de desafios, reconhecendo que as questões ambientais constituem a sua missão.

Com um forte sentido de lugar e noção de escala, percebemos que, ao atuar num local distante (Colômbia), estamos também a atuar em Portugal, porque, no que toca à preservação da biodiversidade, estamos a falar daquilo que é de todos, que não pode ser substituído e que a natureza nos solicita para poder gerar vida. A proteção ambiental necessita de intervenientes ativos que ousem na ação e que, através de um compromisso em cadeia entre diferentes povos e perspetivas culturais, conjuguem a primazia comunitária com a responsabilidade individual.

 

Ainda que recente, a DUNA surgiu para dar continuidade ao trabalho de recuperação e reflorestação de terras indígenas colombianas: 1.000 hectares (cerca de mil campos de futebol) recuperados ao longo de 20 anos por associações espanholas, francesas e italianas, em parceria com o povo Arhuaco e a Confederação Indígena Tayrona.  Os Arhuacos são um povo indígena de 46 mil habitantes que soube manter viva a cultura da natureza e que luta pela sobrevivência, a norte da Colômbia, na Serra Nevada de Santa Marta. Uma área com uma história conturbada que passa pelos movimentos guerrilheiros, grupos paramilitares, explorações mineiras e especulação turística. Assim, os indígenas habituaram-se a caminhar em silêncio pela noite dentro, numa invisibilidade essencial à sua preservação enquanto povos de origem. Expostos a uma constante de violência, atuam em paz, juntando duas mil pessoas que marcham serra fora para irem negociar as terras que lhes foram retiradas. Ou seja, constroem diariamente um projeto comum, a favor deles próprios e também da humanidade, já que 80% da biodiversidade do nosso planeta é mantida pela população indígena do mundo.

 

Abraçamos, então, dois grandes projetos com estas comunidades:

 

- "Colégio da Serra", que visa a construção de uma escola que articule o ensino regular com o tradicional e que irá receber crianças de 14 regiões da Serra e de três das suas comunidades indígenas: os Arhuacos, os Koguis e os Wiwa;

 

- "Terra de Origem", focado na compra de terras, que vai consolidar uma zona importante do território ancestral indígena na Serra e de onde arrancará um trabalho de reflorestação.

 

Se a nível internacional temos uma equipa de voluntários espalhados por todo o mundo e um trabalho já reconhecido e em crescimento, em Portugal, mais concretamente em Esposende, onde está sediada a DUNA, estamos ainda numa fase de integração, estabelecendo parcerias com as entidades locais ligadas à preservação da natureza, pois estamos em pleno Parque Natural do Litoral Norte, na rede de áreas protegidas portuguesas do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas. Ainda a nível nacional, a DUNA faz parte do Conselho Nacional da Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto, integrando o movimento associativo e a economia social portuguesa.

 

Somos todos seres sociais e seres que se movem quando estão apaixonados por alguma coisa. Quando isto acontece, juntamo-nos como uma tribo ou família. É assim na DUNA, cuja missão nos faz ter energia para "mover o mundo", para partilhar e concretizar uma responsabilidade coletiva ao serviço do bem comum.

 

Associativismo e Democracia

 

Realiza-se no próximo sábado, dia 13 de julho, a conferência "Relações entre o poder associativo e o poder central, antes e depois de 25 de abril de 1974". A iniciativa tem lugar na Academia de Santo Amaro, em Lisboa, e vai decorrer entre as 10 e as 18 horas.

 

Esta iniciativa encerra o ciclo de conferências sobre o tema "Associativismo e Democracia", iniciado na Figueira da Foz, no final de maio de 2019 e organizado no contexto do programa das comemorações do Dia Nacional das Coletividades e do 95.º aniversário da Confederação Portuguesa de Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto.

 

Colóquios sobre Economia Social

 

O CIRIEC Portugal e a Fundação INATEL organizam, nos dias 18 e 19 de novembro de 2019, em Lisboa, o X Colóquio Ibérico de Economia Social do CIRIEC (com apoio do CIRIEC Espanha) e o I Colóquio Internacional de Economia Social da Fundação INATEL sob o tema "Sustentabilidade do Território, Património e Turismo Social". Os Colóquios contarão com um dia de conferências e outro de sessões paralelas, para apresentação das comunicações aceites. Para o efeito, os resumos das comunicações devem ser enviados até ao dia 15 de setembro. Mais informações nos sítios do CIRIEC Portugal e da Fundação INATEL.

 

Arquiteta; Presidente da Direção da DUNA - Associação de Eco-Consciência; Membro do Conselho Nacional da CPCCRD

pub

Marketing Automation certified by E-GOI