Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

O forte que foi prisão já foi casa

Casa é um substantivo difícil de colar à Fortaleza de Peniche, mas há quem lhe chame isso. Entre 1977 e 1982, mais de quinhentos refugiados das ex-colónias portuguesas moraram dentro das muralhas da antiga prisão do Estado Novo. As celas foram convertidas em quartos, junto à solitária entendia-se a roupa. Eis uma das encarnações menos conhecidas do futuro Museu Nacional da Resistência e Liberdade, que por acaso, como o Governo ponderou em 2016, não se tornou uma pousada depois da revolução.

Fábio Monteiro | Miguel Baltazar - Fotografia 22 de Junho de 2019 às 11:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

"A minha primeira casa cá em Peniche", "a pequena ilha", "a nossa residência". É assim que Maria Encarnação, Manuela Correia e João Caetano se referem à Fortaleza de Peniche. Falam com sentido de propriedade, libertos do peso da história portuguesa. Entre setembro de 1977 e dezembro de 1982, a emblemática antiga prisão do Estado Novo, que passará a albergar em 2020 o Museu Nacional da Resistência e Liberdade, viveu

...

Negócios Premium
Conteúdo exclusivo para assinantes
Já é assinante? Inicie a sessão
Assine e aceda sem limites, no pc e no smartphone
  • Conteúdos exclusivos com melhor da informação económica nacional e internacional;
  • Acesso sem limites, até três dispositivos diferentes, a todos os conteúdos do site e app Negócios, sem publicidade intrusiva;
  • Newsletters exclusivas;
  • Versão ePaper, do jornal no dia anterior;
  • Acesso privilegiado a eventos do Negócios;
Ver comentários
Saber mais Fortaleza de Peniche refugiados ex-colónias Museu Nacional da Resistência e Liberdade revolução prisão Estado Novo
Mais notícias Negócios Premium
+ Negócios Premium
Capa do Jornal
Informação de qualidade tem valor. Invista. Assine já 1mês / 1€
Mais lidas
Outras Notícias