Conjuntura Montepio: Economia portuguesa deverá voltar a acelerar no terceiro trimestre

Montepio: Economia portuguesa deverá voltar a acelerar no terceiro trimestre

Apesar do crescimento no segundo trimestre ter ficado ligeiramente abaixo do esperado, o Montepio manteve a previsão de que o PIB de Portugal cresce 2,3% este ano.
Montepio: Economia portuguesa deverá voltar a acelerar no terceiro trimestre
O consumo privado terá continuado a suportar o crescimento da economia portuguesa no terceiro trimestre
Miguel Baltazar
Nuno Carregueiro 20 de agosto de 2018 às 15:45

O crescimento da economia portuguesa acelerou ligeiramente no segundo trimestre e a tendência deverá voltar a repetir-se no actual trimestre, de acordo com as previsões do Departamento de Estudos do Montepio.

 

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), o PIB de Portugal cresceu 0,5% em cadeia no segundo trimestre, o que representa uma aceleração face ao registado nos primeiros três meses do ano. Na variação em cadeia o crescimento do PIB também acelerou: 2,3%.

 

O desempenho entre Abril e Junho deverá ter sido suportado "apenas pela procura interna, e, em especial, pelo investimento (em capital fixo e em existências) e pelo consumo privado". Para o actual trimestre, o Montepio estima uma nova aceleração ligeira do crescimento, apontando para uma expansão do PIB de 0,6% no terceiro trimestre, o que representa o ponto médio do intervalo entre 0,5% e 0,7%.   

 

"O crescimento do PIB no terceiro trimestre deverá ser suportado essencialmente pelo investimento em capital fixo (FBCF) e pelo consumo privado, este último continuando a ser suportado pela manutenção da redução da taxa de desemprego e pelo aumento do rendimento disponível das famílias, em resultado do alívio fiscal resultante da entrada em vigor do Orçamento do Estado para 2018", refere o banco no relatório semanal publicado esta segunda-feira.

 

O Montepio estima que o "consumo público deverá crescer de uma forma mais marginal" no terceiro trimestre, enquanto as "exportações líquidas poderão apresentar um contributo ligeiramente positivo para o crescimento em cadeia do PIB", invertendo assim a tendência registada nos dois trimestres anteriores, quando penalizou o crescimento do PIB.

 

Previsão para 2018 permanece em 2,3%

 

Quanto ao conjunto do ano, as exportações líquidas deverão dar um contributo negativo para o crescimento do PIB, apesar de o banco estimar um abrandamento das importações.

 

O Montepio aponta para uma estabilização do crescimento do consumo privado no conjunto de 2018 (+2,3%) e um abrandamento da formação bruta de capital fixo (FBCF) de 9,2% para 5,9%.


Apesar do crescimento do PIB ter ficado ligeiramente abaixo das estimativas no segundo trimestre (Montepio apontava para crescimento em cadeia entre 0,5% e 0,7%), o banco manteve a sua previsão para 2018, que aponta para uma expansão de 2,3%, representando um valor em linha com as previsões da Comissão Europeia, FMI, Banco de Portugal e pelo Governo.

 

Na previsão para 2018, o Montepio destaca que a confirmar-se as expectativas, será já o quinto ano que Portugal crescerá abaixo de Espanha (+2,8% em 2018).

 

Acrescenta que o PIB de Portugal "regressou, nos três últimos trimestres, aos níveis anteriores à intervenção da troika, mas ainda não recuperou dos efeitos da Grande Recessão internacional de 2008/09, estando actualmente 0,2% abaixo dos máximos históricos observados no primeiro trimestre de 2008, sendo que o PIB da Zona Euro já está 6,6% acima dos valores pré Grande Recessão internacional e o da Alemanha está 12,8% acima".




Saber mais e Alertas
pub