Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

AstraZeneca e Oxford começam testes avançados de vacina para a covid-19

A AstraZeneca afirmou que está agora a assegurada a capacidade de produção para mil milhões de doses e espera conseguir novos acordos para expandir a capacidade.

Bloomberg
Negócios com Bloomberg 22 de Maio de 2020 às 10:04
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A farmacêutica AstraZeneca e a universidade de Oxford, que formam uma parceria para o desenvolvimento de uma vacina para a covid-19, vão agora começar os testes avançados em humanos.

A contratação dos 10.000 indivíduos que vão permitir testar a vacina nos seus corpos já começou, no âmbito da fase II do projeto, de acordo com um comunicado emitido esta sexta-feira.

O desenvolvimento desta vacina acelerou com a ajuda do Governo norte-americano, que revelou, esta quinta-feira, que financiou este projeto com 1,2 mil milhões de dólares. Esta quantia foi dispensada no âmbito da operação Warp Speed, que tem investido em vacinas com o objetivo de assegurar a respetiva e atempada distribuição nos Estados Unidos, em caso de sucesso dos laboratórios que usufruírem do apoio.

No caso da ajuda financeira concedida à AstraZeneca, Washington pretende assegurar mil milhões de doses, 300 milhões dos quais já em outubro. A empresa espera conseguir disponibilizar a vacina em setembro.

Num comunicado, a AstraZeneca afirmou que está agora a assegurada a capacidade de produção para mil milhões de doses e espera conseguir novos acordos para expandir a capacidade ao longo dos próximos meses, no sentido de "garantir a distribuição global da vacina".

As empresas farmacêuticas, incluindo também a Moderna e a Sanofi, estão na corrida ao desenvolvimento e produção da vacina contra o novo coronavírus, cujos peritos dizem ser crucial para permitir aos países abrandar o confinamento e as restrições à vida pública.

Ver comentários
Saber mais AstraZeneca Oxford economia negócios e finanças saúde indústria e produtos químicos medicina preventiva
Outras Notícias