Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Covid-19: Graça Freitas admite "enorme pressão" sobre o SNS

A diretora-geral de Saúde anunciou que as equipas de saúde pública estão a ser reforçadas com alunos das escolas de enfermagem, em regime de estágio.

Tiago Petinga / Lusa
Sábado 16 de Outubro de 2020 às 14:34
  • Assine já 1€/1 mês
  • 8
  • ...
A diretora-geral da Saúde reconheceu esta sexta-feira que o Serviço Nacional de Saúde está sob "uma enorme pressão". A responsável pelo organismo público lembra que há neste momento muitos pacientes infetados, sendo que mais de mil estão já internados em hospitais. 

Graça Freitas anunciou que as equipas de saúde pública estão a ser reforçadas com alunos das escolas de enfermagem, em regime de estágio. A diretora-geral da Saúde explicou que chegou a um consenso com o Minsitério da Saúde e com o Minsitério do Ensino Superior para que estes alunos possam integrar as equipas de resposta à pandemia dos vários organismo de saúde pública do país. Estes estudantes irão começar a trabalhar em unidades públicas já na próxima semana e vão receber formação específica para tratamento de Covid-19.

Durante a conferência de imprensa da Direcção-Geral da Saúde (DGS), o secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes, referiu que a percentagem de ocupação de camas global está em cerca de 70%. Atualmente há 1.015 pesosas internadas em hospital, 144 dessas na unidade de cuidados intensivos.

Sobre a situação nos hospitais Amadora-Sintra e Beatriz Ângelo que lançaram apelos para não receberem mais doentes urgentes com Covid-19, o secretário de Estado da Saúde respondeu que "existem casos pontuais que não são específicos nem novos da pandemia" e que esta questão "faz faz parte da gestão do dia-a-dia" das instituições hospitalares. 

860 mortes em lares

Desde o início da pandemia em março já morreram  860 pessoas em lares e residências para idosos. Desses óbitos, 349 ocorreram no Norte, 152 no Centro, 333 em Lisboa e Vale do Tejo, 20 no Alentejo e seis no Algarve.

Graça Freitas informou ainda que a primeira fase da vacinação para a gripe "está a correr bem", apesar de ter sido antecipada em cerca de 2 semanas. O novo circuito de vacinação está a dar primazia a "pessoas em instituições, sobretudo as mais idosas, mas também da rede de cuidados continuados e os profissionais de saúde e do sector social". As grávidas foram também priviligiadas nesta primeira fase e continuarão a ser. 

"Já foram distribuídas 785 mil doses de vacina e na próxima semana chegaremos a 1 milhão e 400 doses", declarou. A segunda fase do plano de vacinação para a gripe em 2020 começa na próxima segunda-feira.
Ver comentários
Saber mais Serviço Nacional de Saúde Covid-19
Outras Notícias