Economia Atividade industrial na Zona Euro derrapa para mínimos de 2012

Atividade industrial na Zona Euro derrapa para mínimos de 2012

Apesar de ter ficado acima do previsto, a atividade das indústrias da área do euro voltou a cair em setembro deste ano, tocando em mínimos de sete anos. O euro renova mínimos de maio de 2017.
Atividade industrial na Zona Euro derrapa para mínimos de 2012
Ricardo Castelo
Negócios 01 de outubro de 2019 às 10:17

Em setembro, a atividade industrial da Zona Euro caiu para mínimos de outubro de 2012, com as fábricas alemãs a conhecerem o seu pior mês, em termos de atividade, desde a última crise financeira.

O índice IHS Markit para a atividade industrial na região caiu para 45,7 pontos no mês passado, acima do esperado (45,6 pontos), mas a manter a tendência de quedas. A marca dos 50 pontos separa a contração da expansão.

Esta queda foi liderada pela indústria alemã, a maior economista da Zona Euro, que viu a atividade encolher para 41,7 pontos, o menor valor desde 2009.

A contínua guerra comercial entre os EUA e a China e o prolongado Brexit tem feito moça nas indústrias de todo o mundo, encolhendo a procura interna e externa. O euro, afetado também pela turbulência, mantém a sua tendência e por esta altura deprecia 0,05% para os 1,087 dólares, um mínimo de maio de 2017.

"A saúde do setor industrial na Zona Euro foi de mal a pior em setembro", começa por dizer Chris Williamson, economista chefe do instituto Markit, à Bloomberg, acrescentando que "envia sinais negativos para o quarto trimestre".

Apesar de grande parte das indústrias na região não ter ultrapassado a marca dos 50 pontos, em França, o índice fixou-se nos 50,1.

Este cenário tem-se espalhado pelas maiores economias do mundo. No mês anterior, o índice que mede a atividade industrial dos EUA ficou pela primeira vez nos últimos três anos abaixo da marca dos 50 pontos.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI