Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

China sugere retaliação contra os EUA: "fiquem atentos"

Há mais um foco de tensão entre os Estados Unidos e a China em vésperas de nova ronda de negociações: Washington decidiu incluir oito empresas chinesas na sua lista negra.

estados unidos china
Bloomberg
Negócios jng@negocios.pt 08 de Outubro de 2019 às 09:54
  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...

A China sinalizou que deverá "contra-atacar" após os Estados Unidos terem incluído oito das grandes tecnológicas chinesas na sua lista negra, à semelhança do que já haviam feito com a Huawei.

Confrontado com a possibilidade de existirem retaliações por parte da China, um porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros chinês deixou a pista: "fiquem atentos", para depois acrescentar que a China irá "salvaguardar os seus interesses".

Os Estados Unidos decidiram avançar com a referida penalização às empresas com base em alegadas violações, por parte da China, dos direitos humanos de minorias muçulmanas. O mesmo representante do ministério negou as acusações.

Entre as empresas visadas estão duas gigantes da videovigilância, Hangzhou Hikvision Digital Technology e a Zhejiang Dahua Technology, que controlam cerca de um terço deste mercado a nível mundial. Outros alvos foram a SenseTime Group, a startup de inteligência artificial mais valiosa do mundo, e a concorrente Megvii Technology, que se prepara para angariar mil milhões de dólares num IPO.

A notícia surge numa altura em que as duas maiores economias do mundo se preparam para uma nova ronda de conversações com vista a um entendimento em matéria comercial.

 

Esta semana deverá ser marcada por reuniões em Washington entre a comitiva liderada pelo vice-presidente chinês, Liu He, e os responsáveis norte-americanos americanos. Hoje os negociadores de ambos os lados deram início aos preparativos para os planos de trabalho - sendo que as conversações formais arrancam na quinta-feira, 10 de outubro.

Ver comentários
Saber mais China Estados Unidos EUA Huawei economia negócios e finanças política tecnologias de informação diplomacia relações internacionais
Mais lidas
Outras Notícias