Economia Ministro reafirma dados sobre o SIRESP que forneceu ao parlamento em 2018

Ministro reafirma dados sobre o SIRESP que forneceu ao parlamento em 2018

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, reafirmou esta terça-feira, em Lisboa, os dados que tinha avançado no parlamento sobre as falhas no sistema SIRESP em 2017, confirmando que as mesmas totalizaram cerca de 9.000 horas.
Ministro reafirma dados sobre o SIRESP que forneceu ao parlamento em 2018
Lusa 09 de abril de 2019 às 19:48

Em conferência de imprensa hoje no Ministério da Administração Interna, em Lisboa, Eduardo Cabrita esclareceu os dados que tinha avançado em 04 de abril de 2018 na Assembleia da República e que foram contrariados em notícias recentes do jornal Público.

 

O governante garantiu que "não oculta" informações referentes aos incêndios de 2017, que provocaram quase sete dezenas de mortos, e reafirmou a disponibilidade de ir ao parlamento dar explicações sobre esses dados, como foi na segunda-feira solicitado pelo CDS-PP.  

 

Entretanto, o ministro anunciou que o relatório com os dados referentes aos incêndios de 2017 foi publicado esta tarde no portal do Governo, estando disponível ao público.     

 

Na conferência de imprensa de hoje, o ministro, ao contrariar as notícias do Público, referiu haver uma "confusão entre disponibilidade global ou disponibilidade operacional", para justificar a discrepância de horas que mencionou no parlamento e as avançadas pelo jornal, que são cerca de dois terços menos.

 

O ministro disse que mandatou a secretaria-geral do Ministério para fazer um relatório com os dados dos incêndios de 2017, que, entretanto, já foi divulgado esta tarde no portal do Governo na Internet.

 

Entretanto, o Público noticiou hoje que o Tribunal de Contas voltou a rejeitar o visto para investimento de 15,8 milhões de euros no Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) e que "insiste que têm de ser apuradas responsabilidades por infrações financeiras", ao que o ministro respondeu hoje que a questão será tratada entre o MAI e o Ministério das Finanças.

 

O governante garantiu hoje que "a segurança dos portugueses é a prioridade", sublinhando que no ano passado o SIRESP esteve sempre disponível no ano passado, mesmo nos momentos de maior complexidade, sublinhando que nos incêndios de Monchique e a tempestade Leslie quando os sistemas convencionais falharam o SIRESP esteve operacional, tendo sido fornecidos meios de comunicação a algumas autarquias.

 

Enquanto o PSD pediu ao Governo para consultar os documentos com dados sobre o funcionamento do SIRESP durante os graves incêndios de 2017, o CDS-PP solicitou a presença do MAI no parlamento para esclarecimentos, situação para a qual Eduardo Cabrita já se disponibilizou, garantindo que irá "prestar todos os esclarecimentos".

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI