Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo francês considera "escandaloso" Barroso no Goldman

"Escandaloso". É assim que o Governo francês apelida a ida de José Durão Barroso para o Goldman Sachs, apelando para que o ex-presidente da Comissão recue na decisão.

Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 13 de Julho de 2016 às 15:36
  • Assine já 1€/1 mês
  • 24
  • ...

O ministro dos Assuntos Europeus francês, Harlem Desir, considera que a ida de Durão Barroso para o Goldman Sachs levanta questões sobre o conflito de interesses entre cargos na União Europeia e os papéis que podem ser assumidos após a passagem por Bruxelas.

 

"É um erro da parte de Barroso e é a pior imagem que um antigo presidente da Comissão pode dar ao projecto europeu, num momento da história em que este precisa de ser apoiado e fortalecido", defendeu esta quarta-feira, 13 de Julho, o responsável francês, citado pela Reuters.

 

O ministro, que falava no Parlamento francês, defendeu ainda que as regras sobre conflitos de interesse na União Europeia devem ser reforçadas para os responsáveis com cargos mais elevados.


Durão Barroso assumiu a presidência da Comissão Europeia em 2004, tendo permanecido à frente da instituição até 2014. O Goldman Sachs anunciou que o ex-primeiro-ministro português ia trabalhar na subsidiária Goldman Sachs International (GSI), em Londres, no dia 8 de Julho.

 

E, desde então, a polémica foi aumentando de tom. Ainda esta quarta-feira, Pierre Moscovici, comissário europeu para os Assuntos Económicos e Financeiros, considerou que a ida de Barroso para o banco de investimento americano, apesar de não ser ilegal, é eticamente duvidosa.

 

Ver comentários
Saber mais Durão Barroso União Europeia Comissão Europeia Parlamento Pierre Moscovici Goldman Sachs
Mais lidas
Outras Notícias