Justiça "El Chapo" condenado a prisão perpétua

"El Chapo" condenado a prisão perpétua

O maior traficante de droga de sempre foi condenado a uma pensa de prisão perpétua, mais 30 anos.
"El Chapo" condenado a prisão perpétua
Reuters
Sábado 17 de julho de 2019 às 15:30
Joaquin "El Chapo" Guzman, considerado o maior traficante de droga de sempre, foi condenado esta quarta-feira, 17 de julho, a pena perpétua por um tribunal norte-americano. À pena acrescem ainda mais 30 anos de prisão, obrigatórios pela lei do país.

O mexicano foi considerado culpado, em fevereiro, de tráfico de toneladas de droga para os Estados Unidos - incluindo cocaína, heroína e marijuana - e de ter iniciado conspirações de homicídio como líder do Cartel de Sinaloa, uma das maiores e mais violentas organizações de droga do México. Além do tempo de prisão, o tribunal federal em Brooklyn obrigou ainda "El Chapo" a pagar 12,7 mil milhões de dólares, cerca de 11,3 mil milhões de euros em reparos.

Antes de a sentença ser lida, o narcotraficante descreveu as más condições das prisões norte-americanas e afirmou ter sido vítima de "tortura psicológica, emocional e mental" durante o tempo que esteve detido. "Os Estados Unidos não são melhores em nada do que outros países corruptos", afirmou Guzman, acrescentando que a acusação queria enviá-lo para "uma prisão onde nunca mais fosse ouvido".

Até ser finalmente capturado em 2016, "El Chapo" escapou por duas vezes de prisões de máxima segurança no México. Foi depois extraditado para os Estados Unidos, para enfrentar a justiça norte-americana pela primeira vez em janeiro de 2017.

Prisão de "supermáxima segurança" para evitar terceira fuga

O local onde "El Chapo" cumprirá a pena de prisão perpétua a que foi condenado ainda não é conhecida mas, de acordo com a Reuters, a instituição à sua espera será a Administrative Maximum Facility em Florence, no estado de Colorado. Esta é mais conhecida como ADX Florence, a prisão de "supermáxima segurança" mais segura dos EUA.

Desde que foi inaugurada, em 1994, nunca ninguém de lá conseguiu fugir e Guzman irá juntar-se a uma longa lista de criminosos como terroristas, antigos espiões da União Soviética ou membros da Al-Qaeda.

"Nas suas duas fugas, Guzman demonstrou que é um maior risco do que todas as outras pessoas. Isso torna o ADX Florence o local apropriado para ele", afirma à Reuters John Hay, professor da Universidade de Justiça Criminal de Nova Iorque.

(Notícia atualizada às 16:01 com mais informação)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI