Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Empresas norte-americanas anunciam suspensão de donativos a republicanos

Além da cadeia de hotéis Marriott, a companhia de seguros Blue Cross Shield e o grupo bancário Commerce Bancshares, que anunciaram a medida no fim de semana, juntam-se agora Dow, Morgan Stanly e Boston Scientific, que deixarão de fornecer fundos aos congressistas e senadores que votaram contra a certificação dos resultados das eleições presidenciais de novembro.

EPA
Lusa 11 de Janeiro de 2021 às 23:19
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
Mais empresas norte-americanas anunciaram hoje que vão suspender os seus donativos a deputados republicanos que tentaram impedir ou paralisar a confirmação da eleição de Joe Biden para Presidente do país depois da invasão ao Capitólio por apoiantes de Trump.

Além da cadeia de hotéis Marriott, a companhia de seguros Blue Cross Shield e o grupo bancário Commerce Bancshares, que anunciaram a medida no fim de semana, juntam-se agora Dow, Morgan Stanly e Boston Scientific, que deixarão de fornecer fundos aos congressistas e senadores que votaram contra a certificação dos resultados das eleições presidenciais de novembro.

Segundo a revista Forbes, AT&T, Mastercard e American Express foram outras das empresas que também anunciaram medidas semelhantes durante o dia de hoje.

Ao mesmo tempo, empresas como o Citigrou, JPMorgan Chase e Goldman Sachs decidiram abandonar temporariamente todas as suas contribuições políticas em resposta à situação no país.

De acordo com o New York Times, Ford, Coca-Cola, BlackRock e as gigantes tecnológicas Facebook e Microsoft fizeram o mesmo.

O Bank of America, a FedEx e a Wells Fargo consideram tomar medidas semelhantes, refere a Efe.

Nas últimas horas, um crescente número de empresas optou por deixar de contribuir para campanhas políticas no rescaldo da invasão ao Capitólio, na passada quarta-feira.

Algumas das empresas emitiram mensagens duras contra o que aconteceu e contra os que, como o Presidente cessante, Donald Trump, instigaram os protestos ao alegarem uma fraude eleitoral da qual não há provas.

Vários líderes empresariais - incluindo alguns próximos de Trump, que apoiaram durante anos - criticaram a atitude do Presidente cessante.

Apoiantes do Presidente cessante dos EUA, Donald Trump, entraram em confronto com as autoridades e invadiram o Capitólio, em Washington, na quarta-feira, enquanto os membros do congresso estavam reunidos para formalizar a vitória do Presidente eleito, Joe Biden, nas eleições de novembro.

Cinco pessoas morreram na invasão do Capitólio, anunciou a polícia, que deu conta de que tanto as forças de segurança, como os apoiantes de Trump utilizaram substâncias químicas durante a ocupação do edifício.

No entanto, o Congresso dos Estados Unidos ratificou a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais de novembro, na última etapa antes de ser empossado em 20 de janeiro.

O vice-presidente republicano, Mike Pence, validou o voto de 306 grandes eleitores a favor do democrata contra 232 para o Presidente cessante, Donald Trump, no final de uma sessão das duas câmaras, marcada pela invasão de apoiantes de Trump.
Ver comentários
Saber mais Donald Trump política Capitólio Joe Biden Presidente
Outras Notícias