Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Portugal tem mais de um milhão de propriedades sem dono

Capoulas Santos admite que o banco de terras que o Governo está a preparar possa vir a contar com mais de um milhão de propriedades. No mesmo almoço, o ministro da Agricultura apontou o Alqueva como uma “oportunidade” para os empresários espanhóis.

Ministro da Agricultura - Capoulas Santos
Miguel Baltazar/Negócios
Wilson Ledo wilsonledo@negocios.pt 22 de Fevereiro de 2017 às 15:58
  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...

O Governo estima que existam mais de um milhão de propriedades sem dono, que podem ser integradas no banco de terras que está em preparação. O número foi dado esta quarta-feira, 22 de Fevereiro, pelo ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos.

"Admitimos que possam existir em Portugal mais de um milhão de propriedades cuja possibilidade de identificação dos seus proprietários se perdeu", afirmou o ministro, relembrando que haverá entrega destas terras a novos agricultores. O programa será "acompanhado de um generoso regime de incentivos e isenções fiscais", lembrou.


Capoulas Santos falava durante um almoço organizado pela Câmara de Comércio e Indústria Luso Espanhola em Lisboa, que reuniu cerca de 150 empresários. "Apesar da pequena dimensão do território português, possuímos condições para uma elevada diversidade produtiva, o que constituiu um bom contexto para quem quiser investir no sector", apontou.


O ministro centrou as suas atenções no Alqueva, área onde existe "disponibilidade de terra e água a bom preço", "incentivos dificilmente igualáveis em qualquer outra parte do mundo" e onde se espera, até 2020, "ampliar a mancha de regadio em mais de 47 mil hectares".


"Existem excelentes oportunidades de negócio para esta área a expandir. Esperamos que muitos outros investidores espanhóis se venham juntar à quase centena que já apostaram no Alqueva", apelou o governante.


Capoulas Santos lembrou que estão previstos, ao abrigo do Programa de Desenvolvimento Rural, apoios aos investidores privados, "cujos montantes máximos elegíveis são superiores ao que Espanha estabeleceu. É uma vantagem competitiva".


Espanha é o principal parceiro comercial de Portugal no sector agroalimentar, representando 47% das importações e 31% das exportações nacionais.


Aos empresários, o ministro referiu ainda o objectivo do actual Governo em recuperar, na próxima década, os 150 mil hectares de área florestal perdidos nos últimos quinze anos.

Ver comentários
Saber mais Governo Programa de Desenvolvimento Rural agricultura Capoulas Santos Luís Capoulas Santos agricultura e pescas agricultura economia negócios e finanças
Mais lidas
Outras Notícias