Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo abre linha de crédito de 400 milhões para setores mais afetados pela pandemia

O encerramento de várias atividades na sequência do novo confinamento levou o Governo a reabrir a linha de crédito destinada às atividades mais afetadas pela pandemia.

Lusa
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

O ministro da Economia anunciou a reabertura da linha de crédito destinada aos setores mais afetados pelas medidas de mitigação da pandemia, no valor de 400 milhões milhões de euros. Ao mesmo tempo, a partir da próxima segunda-feira, passarão a estar disponíveis, no setor bancário, as linhas de crédito para empresas exportadoras e da área de eventos, que contam com uma componente de 20% a fundo perdido.

"Além de termos reaberto a linha de crédito com garantia do Estado para as empresas dos setores mais afetados pelas medidas de mitigação da pandemia, para já com o valor de 400 milhões de euros, teremos também no sistema bancário, a partir de segunda-feira, a linha de crédito para as empresas exportadoras e a linha de crédito para as empresas do setor dos eventos, que permitem a conversão de 20% do valor do crédito em subsídio a fundo perdido, no caso de manutenção dos postos de trabalho no final de 2021", adiantou Pedro Siza Vieira, durante a conferência de imprensa de apresentação das novas medidas de apoio à economia, que decorreu esta quinta-feira, 14 de janeiro.

Quanto à linha de crédito agora reaberta para apoiar as empresas mais afetadas pela pandemia, com uma dotação de 400 milhões, terão direito a este apoio as empresas que registem quebras homólogas de faturação superior a 25% no ano de 2020. Para acederem a esta linha, as empresas devem garantir a manutenção de postos de trabalho e não poderão distribuir lucros.

Em causa estão os setores que, por não comercializarem bens ou serviços considerados essenciais, vão ser obrigados a encerrar já a partir de sexta-feira, no âmbito do novo estado de emergência. As restrições, conforme adiantou o primeiro-ministro esta semana, poderão manter-se ao longo de um mês. Contudo, para já, não é possível prever qual a duração deste novo confinamento.

Durante o ano passado, o Governo já lançou várias linhas de crédito garantido pelo Estado, a maioria das quais já esgotada. A principal, no montante de 6,2 mil milhões de euros, abrangia todos os setores de atividade e já utilizada na totalidade.

Hoje, continuam disponíveis outras duas linhas, de montantes inferiores: uma de 1.000 milhões de euros, destinada às micro e pequenas empresas, e outra de 400 milhões, destinada às médias empresas.

O Orçamento do Estado para 2021 prevê o lançamento de novas linhas, até um montante máximo de 6 mil milhões de euros.

Notícia atualizada pela última vez às 20h16 com mais informação.

Ver comentários
Outras Notícias