Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo anuncia nova linha de crédito para micro e PME para empréstimos até 25 mil e 75 mil euros

À semelhança do que já foi criado para as empresas do turismo, vai ser lançada uma linha de crédito para capitalização de empresas através do IAPMEI e com período de carência de 18 meses. Custo decerá ser equivalente à euribor mais 1,5%.

Siza Vieira afirma que “já aprendeu” que não deve dar uma data, mas acredita que há condições para pagar o apoio “nas próximas semanas”.
José Sena Goulão/Lusa
Filomena Lança filomenalanca@negocios.pt 08 de Julho de 2021 às 17:59
  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...

O Governo aprovou esta quinta-feira em Conselho de Ministros a criação de uma linha de crédito a micro, pequenas e médias empresas que deverá ficar operacional dentro de 14 dias, anunciou o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira. 


O ministro, que falava na conferência de imprensa que se seguiu à reunião semanal do Executivo explicou que se trata de uma linha de crédito que "replicará  a experiência para as empresas do turismo", realizada através do Turismo de Portugal. Neste caso, o crédito será operacionalizado através do IAPMEI "e permitirá a empresas de outros setores terem acesso a crédito", concretizou. Os empréstimos assim concedidos terão um período de carência de 18 meses. 

Os detalhes estão ainda a ser afinados e serão publicados nos próximos dias, através de uma portaria conjunta dos ministros da Economia e das Finanças, mas Pedro Siza Vieira adiantou alguns aspetos. Assim, a linha deverá ter um valor de a
té 750 milhões de euros e as condições de crédito dependerão da dimensão da empresa e do número de trabalhadorea que tenham a cargo. A ideia é que possam ser atribuídos 3.000 euros por cada posto trabalho, com um limite de 25 mil euros para micro empresas e de 75 mil euros para PME. O período de reembolso "será estabelecido nos próximos dias", acrescentou o ministro. Quando ao custo a suportar pelas empresas, também ainda não está fechado, mas deverá corresponder à "euribor mais 1,5%", estima Pedro Siza Vieira.

As empresas que recorram à nova linha de crédito terão de manter o funcionamento da atividade e o número de postos de trabalho durante um determinado tempo, que será também especificado na portaria que está já a ser preparada.

A linha de crédito agora anunciada é a concretização de uma medida que estava prevista no Orçamento do Estado para 2021 e que foi uma iniciativa de Os Verdes, no Parlamento, explicou também Pedro Siza Vieira. 

(notícia atualizada com mais informação)

Ver comentários
Outras Notícias