Energia Maior fundo soberano do mundo reforça na EDP depois da OPA

Maior fundo soberano do mundo reforça na EDP depois da OPA

O Norges Bank passou a deter directamente mais de 2% do capital da EDP, depois de ter comprado acções na sessão posterior ao lançamento da OPA sobre a eléctrica.
Maior fundo soberano do mundo reforça na EDP depois da OPA
Mafalda Santos
Nuno Carregueiro 17 de maio de 2018 às 19:22

O Norges Bank, que é o maior fundo soberano do mundo, comprou acções da EDP na segunda-feira, 14 de Maio. Ou seja, na primeira sessão em que o mercado reagiu à oferta pública de aquisição (OPA) lançada pela China Three Gorges.

 

Num comunicado emitido esta quinta-feira, 17 de Maio, a EDP diz que o Norges Bank (o banco central da Noruega) lhe comunicou a 15 de Maio que "o total de acções detidas directamente pelo Norges Bank ultrapassou o patamar de 2% do capital social da EDP no dia 14 de Maio de 2018".

O Norges Bank passou a deter directamente 77.923.472 acções da EDP, que correspondem a 2,13% do capital da EDP. A 9 de Maio tinha comunicado que detinha 72.782.209 acções (1,99% do capital).

 

Em sentido inverso, as acções que são imputáveis ao Norges Bank através de instrumentos financeiros baixou de 0,41% para 0,08%.

 

Assim, apesar de a posição imputável até ter diminuído, um dos maiores accionistas da EDP dá um sinal que não estará disponível para vender na OPA da CTG ao actual preço (3,26 euros), uma vez que reforçou a sua posição directa.

 

Esta transacção ganha especial destaque uma vez que é a primeira conhecida entre os accionistas com participações qualificadas desde o lançamento da OPA.  

 

A maior fatia do capital da EDP é detida pela República Popular da China, através das estatais China Three Gorges (23,27%) e CNIC (4,98%). Os Estados Unidos representam o segundo maior bloco entre os accionistas através dos fundos Capital Group Companies (12%) e a BlackRock (5%). Depois, a espanhola Oppidum Capital (7,19%), detida, por seu turno, em 55,9% pela Masaveu International, e os restantes 44,1% pelo Liberbank. 

Seguem-se os accionistas com origem no Médio Oriente: de Abu Dhabi, a Mubadala Investment Company (4,06%), e, do Qatar, a Qatar Investment Authority (2,27%). A estatal argelina Sonatrach detém 2,38% da EDP. Mas existe um accionista português nestas contas: o BCP (2,44%).

O Norges Bank é o maior investimento do mundo, com uma carteira de activos acima de 1 bilião de euros. Em Portugal tem investimentos numa série de empresas, onde tem aplicados mais de mil milhões de dólares.

 




pub