Imobiliário Espanhola Merlin quer duplicar ativos em Portugal para 2 mil milhões

Espanhola Merlin quer duplicar ativos em Portugal para 2 mil milhões

A Merlin pretende liderar o mercado de escritórios em Lisboa, sendo que atualmente ocupa a terceira posição.
Espanhola Merlin quer duplicar ativos em Portugal para 2 mil milhões
Negócios 19 de março de 2019 às 15:06

A espanhola Merlin, empresa de imobiliário que tem no Santander o principal acionista, pretende chegar a 2022-2023 com ativos em Portugal no valor de 2 mil milhões de euros.

Já se sabia que no objetivo da Merlin estava a liderança do mercado de escritórios em Lisboa e a duplicação da presença no mercado. Agora, segundo uma notícia do Cinco Dias, o objetivo é quantificado, pois a meta passa por crescer dos ativos atuais de mil milhões de euros, para 2 mil milhões de euros dentro de quatro anos.  No curto prazo o objetivo passa por chegar aos 1,5 mil milhões de euros em ativos.

Em Lisboa a Merlin controla 100 mil metros quadrados em espaços imobiliários, estando na terceira posição do "ranking" nos escritórios, atrás da Norfin e do Castle Group.

No que diz respeito a receitas, a atividade em Portugal pesou 9% nos 499 milhões de euros alcançados no ano passado, sendo que a meta (sem prazo definido) passa por chegar aos 15%. Os escritórios que a Merlin tem em Portugal representam 6% da carteira da empresa espanhola, enquanto o peso dos centros comerciais é bastante superior (21%), devido ao Almada Forum.

Em julho do ano passado a cotada espanhola já tinha revelado o objetivo de liderar o mercado de escritórios na capital.

Em 2018 a empresa pagou 33 milhões de euros pela Torre Zen, um edifício na zona da Expo com mais de 10 mil metros quadrados onde estão localizadas várias companhias, como a francesa Danone.

O Santander é o principal acionista da Merlin, empresa cotada na bolsa espanhola e que tem em carteira vários edifícios conhecidos, como a Torre Sacyr em Madrid e a Torre Glòries em Barcelona.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI