Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Imperial dona da Regina, Pantagruel e Pintarolas vendida a espanhóis

A principal fabricante portuguesa de chocolates, que pertencia ao grupo RAR até ao verão de 2015, foi vendida pelo fundo Vallis à espanhola Chocolates Valor.

Manuela Tavares de Sousa, CEO da Imperial. Sábado
Rui Neves ruineves@negocios.pt 24 de Março de 2021 às 10:48
  • Partilhar artigo
  • 15
  • ...

A Imperial, a maior produtora portuguesa de chocolates, com marcas como Jubileu, Regina, Pintarolas, Pantagruel e Allegro, entre outras, foi vendida pelo fundo Vallis à espanhola Chocolates Valor, que junta agora a fábrica de Vila do Conde às unidades fabris que tem em Villajoyosa e Ateca.

"O Fundo Vallis Sustainable Investments I informa que acordou com a Chocolates Valor a alienação de 100% do capital da Imperial - Produtos Alimentares, SA", revela o fundo da "private equity" Vallis Capital Partners, esta quarta-feira, 24 de março, em comunicado enviado às redações.

Esta operação, cujo valor não foi revelado, tem ainda de obter luz verde da Autoridade da Concorrência.  

 

Com um volume de negócios de 33 milhões de euros, a Imperial, que emprega cerca de duas centenas de pessoas, gera cerca de um quarto das suas vendas na exportação para 45 países.

Fundada há quase 90 anos, a Imperial foi adquirida pelo fundo Vallis ao grupo RAR no verão de 2015, tendo levado a cabo "um ambicioso plano de reforço da sua capacidade industrial, que representou um investimento superior a 16 milhões de euros em cinco anos", realça a Vallis.

 

Com esta operação, a espanhola Chocolates Valor "concretiza a sua primeira operação de aquisição internacional" e reforça a sua posição no setor ibérico do chocolate.

"A combinação das duas empresas potenciará o desenvolvimento dos seus negócios, reforçando e projetando as suas marcas e maximizando as sinergias de ambas", enfatiza o fundo Vallis.

"É com satisfação que, com esta transação, a Imperial vê reconhecido o seu percurso ao longo dos últimos cinco anos, nos quais consolidou o prestígio e notoriedade das suas marcas, ao mesmo tempo que investiu na modernização das suas instalações industriais. Além disso, afirmou a sua convicção de que a Chocolates Valor, pela sua solidez e reputação no setor será o acionista certo para continuar potenciar o crescimento da Imperial", afirma Eduardo Rocha, CEO da Vallis Capital Partners.

 

Com esta alienação, "o Fundo Vallis Sustainable Investments I prossegue com sucesso o seu ciclo de desinvestimento e geração de liquidez para os seus subscritores, apesar do atual contexto global de incerteza e recessão", remata a mesma "private equity" (gestão de fundos privados).

 

Este é o primeiro fundo de capital de risco iniciado pela Vallis, com uma capitalização de 75 milhões de euros, que tem no seu portfólio empresas como a Smile-Up, Castelbel, Raclac e Hubel Agrícola, tendo já saído da CGC Genetics, Vortal e, agora, da Imperial.

 

Sediada em Villajoyosa , Alicante, a centenária Chocolates Valor, que exporta os seus produtos para mais de 60 países,  fechou o exercício de 2020 com uma faturação de 138 milhões de euros.

 



(Notícia atualizada às 11:12)

Ver comentários
Saber mais imperial chocolates vallis chocolates valor
Outras Notícias