Tecnologias A cada segundo portugueses apostam 102 euros em jogo online

A cada segundo portugueses apostam 102 euros em jogo online

Nos primeiros nove meses deste ano os portugueses apostaram mais de 2.400 milhões de euros no jogo online, o que representa uma média de 102 euros por segundo.
A cada segundo portugueses apostam 102 euros em jogo online
Pedro Curvelo 13 de dezembro de 2019 às 15:30
Entre 1 de janeiro e 30 de setembro, os portugueses apostaram uma média de 102 euros por segundo no jogo online, num valor global de 2.407,3 milhões de euros, que representa uma subida homóloga de 38%, de acordo com os dados divulgados esta sexta-feira pelo Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos (SRIJ), entidade reguladora do setor.

Os dados do relatório do SRIJ mostram que a maior fatia das apostas online é nos jogos de fortuna e azar, onde os portugueses gastaram 2.050 milhões de euros, uma subida de 40% face aos 1.463,6 milhões apostados nos primeiros nove meses do ano passado.

Nas apostas desportivas à cota, em que o jogador aposta uma quantia em dinheiro contra a entidade exploradora com base numa cota predefinida, o montante apostado cifrou-se em 357,4 milhões de euros, mais 27,1% do que no período homólogo.

Em termos de receita bruta dos operadores, que abate os montantes distribuídos em prémios ao valor das apostas, o valor global cresceu 37,1%, passando de 109,1 milhões de euros para 149,6 milhões.

Aqui, as apostas desportivas representam 73,7 milhões da receita bruta, tendo subido 28,6% em termos homólogos, enquanto os jogos de fortuna e azar viram a receita disparar 47,2%, ascendendo a 76,1 milhões de euros.Esta evolução permitiu aos chamados "jogos de casino" superarem as receitas das apostas desportivas online. No total do ano passado, as apostas desportivas online renderam 78,9 milhões de euros de receita bruta contra 73,2 milhões dos jogos de fortuna e azar.

A evolução do mercado do jogo online em Portugal, que nos primeiros nove meses do ano passou a contar com mais dois operadores - a 888 e a GML, que utiliza a marca Betano - elevando o total para 11 entidades licenciadas, traduziu-se também numa subida da receita fiscal arrecadada pelo fisco. O montante entregue ao Estado em sede de imposto especial sobre o jogo online (IEJO) atingiu, nos primeiros nove meses do ano, 59 milhões de euros, mais 13,9 milhões, ou 30,8%, do que em igual período de 2018. 

Casinos tradicionais com quebra nas receitas
A crescente popularidade do jogo online tem afetado o negócio dos casinos tradicionais, que continuam a apresentar quebras na receita.

De acordo com os dados do SRIJ, nos primeiros nove meses deste ano os casinos, salas de máquinas e de bingo registaram receitas brutas de 238,67 milhões de euros, uma quebra de 1% face aos 241,15 milhões obtidos em igual período do ano passado.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI