Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Facebook sobre a Cambridge Analytica: “Não lemos todos os termos e condições"

O director de tecnologia do Facebook admitiu esta quinta-feira, 26 de Abril, que a rede social não leu todos os termos e condições da aplicação Cambridge Analytica, responsável por aceder indevidamente à informação pessoal de 87 milhões de contas de utilizadores.

Reuters
Raquel Murgeira raquelmurgeira@negocios.pt 26 de Abril de 2018 às 13:30
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

"Não lemos todos os termos e condições " da aplicação Cambridge Analytica, admitiu Mike Schroepfer, director de tecnologia do Facebook, citado na CNBC, esta quinta-feira, 26 de Abril, junto de legisladores do Reino Unido numa audiência no comité parlamentar.

O director de tecnologia do Facebook anunciou ainda que a rede social vai classificar os anúncios políticos antes de 2019 e colocá-los num arquivo para que possa ser consultado quem os financiou e conceder mais transparência à tecnológica depois do escândalo da Cambridge Analytica ocorrido em Março. 

"É do meu entendimento que aquilo que fazemos agora é completamente legal", acrescenta ainda Schroepfer, citado na CNBC, sobre a política de dados e publicidade do Facebook.

A rede social tem sido alvo de críticas sobre a forma como tem vindo a lidar com os dados pessoais dos utilizadores depois do escândalo da aplicação Cambridge Analytica, que acedeu, de forma indevida, à informação de 87 milhões de contas de utilizadores.

Apesar do escândalo de acesso indevido aos perfis dos utilizadores, a tecnológica liderada por Mark Zuckerberg reportou quarta-feira, 25 de Abril, os resultados do seu primeiro trimestre fiscal e pelo 12.º trimestre consecutivo apresentou um volume de negócios que supera as estimativas.

As vendas da empresa sediada na Califórnia aumentaram 49% face ao período homólogo de 2017, para 11,97 mil milhões de dólares, quando a projecção média apontada pelos analistas inquiridos pela Bloomberg era de 11,4 mil milhões.

Os lucros da tecnológica da maçã também foram superiores às estimativas dos analistas. A empresa registou um aumento de 63% do seu resultado líquido, para 4,99 mil milhões de dólares (1,69 dólares por acção), quando as previsões apontavam para um lucro por acção de 1,35 dólares.

Ver comentários
Saber mais Facebook Cambridge Analytica Mark Zuckerberg ciência e tecnologia empresas tecnologia economia negócios e finanças
Mais lidas
Outras Notícias