Telecomunicações A Nos "é o investimento estratégico" de Isabel dos Santos

A Nos "é o investimento estratégico" de Isabel dos Santos

A Nos é o investimento estratégico de Isabel dos Santos. A afirmação é de Mário Leite Silva, administrador da Terra Peregrin, empresa detida pela empresária angolana, que lançou uma OPA sobre a PT SGPS.
A Nos "é o investimento estratégico" de Isabel dos Santos
Miguel Baltazar

A oferta pública de aquisição (OPA) que a Terra Peregrin, detida por Isabel dos Santos, lançou sobre a PT SGPS, não é conflituante com a posição que a empresária angolana tem na Nos. "A Nos é o nosso investimento estratégico em Portugal" garantiu Mário Leite Silva (na foto), administrador da Terra Peregrin, esta quinta-feira, num encontro com jornalistas.

 

Mário Leite Silva não se quis pronunciar sobre a eventualidade de Isabel dos Santos ficar como accionista da Nos, através da Zopt, e em simultâneo, ter sucesso na OPA sobre a PT SGPS, mantendo-se a PT Portugal no universo empresarial da Oi. A 5 de Novembro a Zopt, detida pela Sonae e Isabel dos Santos, emitiu um comunicado onde manifestava "a sua disponibilidade para integrar uma solução que, em aberta colaboração com as partes envolvidas, assegure o necessário compromisso de interesses, promovendo a defesa do interesse nacional".

 

Segundo Mário Leite Silva, a OPA posteriormente lançada pela Terra Peregrin sobre a PT SGPS "está a ser feita em harmonia com o ponto de vista" expresso nesse comunicado. A Terra Peregrin anunciou o lançamento de uma OPA sobre a PT SGPS a 9 de Novembro, tendo a mesma sido registada na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a 2 de Dezembro. A oferta é de 1,35 euros por acção.

 

A Terra Peregrin pediu à CMVM uma derrogação de OPA obrigatória, circunstância que forçaria a empresa a aumentar o preço da oferta. A empresa detida por Isabel dos Santos classifica o preço oferecido como "excelente".  






pub