Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Ramiro Sequeira vai ser presidente interino da TAP

O substituto de Antonoaldo Neves como presidente da TAP será Ramiro Sequeira. Sequeira vai assumir funções de forma interina até que uma empresa internacional realize o processo de recrutamento da futura gestão. O Negócios sabe que o Governo ainda não escolheu a empresa que terá essa incumbência.

DR
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
O substituto de Antonoaldo Neves como presidente da TAP escolhido pelo Governo será Ramiro Sequeira, avançou o Expresso e confirmou o Negócios. Sequeira vai assumir funções de forma interina.

Chegou à TAP em setembro de 2018 para ocupar o lugar de Chief Operating Officer (COO) e tem uma vasta experiência profissional na aviação, na qual se destacam os 12 anos no Grupo IAG (British Airways e Iberia), onde desempenhou funções operacionais.

A nomeação de Ramiro Sequeira ainda terá de ser certificada pela Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC). Esta escolha significa que Antonaldo Neves, até agora CEO da companhia, está prestes a sair, sendo que, ao gestor brasileiro, a TAP terá de pagar os salários vincendos até ao final do mandato que terminaria no fim deste ano, não havendo assim lugar a indemnização.

Na comissão executiva vão manter-se David Pedrosa e Raffael Quintas.

Antes da opção por Ramiro Sequeira, David Pedrosa e Valter Fernandes, CEO da Portugália, chegaram a ser convidados para ocupar o lugar. Por circunstâncias diversas ambos declinaram.

Sequeira irá liderar temporariamente a operadora pois, como anunciou o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, a futura gestão da TAP resultará do processo de recrutamento que será levado a cabo por uma empresa especializada no setor e que irá "procurar, no mercado internacional, gestores qualificados, experientes e com competência na aviação".

O Governo defende ter optado por esta via de modo a assegurar que a próxima administração da companhia conhece o setor e detém a experiência necessária para conduzir a empresa, bem como para despolitizar o processo de escolha.

"Não há nenhuma razão para que o Governo não escolha como um acionista privado. O que o Estado tem de fazer na TAP é adotar procedimentos profissionais de escolha das equipas de gestão", sustentou Pedro Nuno Santos na conferência de imprensa em que revelou também que Antonoaldo Neves seria substituído.

O Negócios sabe, contudo, que a empresa de recrutamento que vai tomar conta do processo de seleção não foi ainda escolhida pelo Governo. O Executivo acredita que entre o início e o final do processo de recrutamento serão necessários em torno de três meses, pelo que a futura equipa de gestão da operadora não deverá assumir funções antes do final deste ano ou do início de 2021. 

Veja aqui a entrevista que Ramiro Sequeira deu ao Jornal da TAP aquando da sua chegada à companhia aérea.

(Notícia atualizada)
Ver comentários
Saber mais TAP Infraestruturas Ramiro Sequeira Antonoaldo Neves Pedro Nuno Santos David Pedrosa
Outras Notícias