Transportes Rangel "apura-se" para os Jogos Olímpicos de Tóquio

Rangel "apura-se" para os Jogos Olímpicos de Tóquio

O grupo nortenho assinou um contrato de exclusividade com o Comité Olímpico de Portugal, assegurando a logística e transporte dos equipamentos e materiais usados pelos atletas nos Jogos Europeus e nas Olimpíadas de 2020.
Rangel "apura-se" para os Jogos Olímpicos de Tóquio
Paulo Duarte
António Larguesa 18 de junho de 2019 às 15:54

A Rangel Logistics Solutions é o novo operador logístico do Comité Olímpico de Portugal (COP), tendo assinado um acordo de exclusividade válido para os Jogos Europeus de Minsk, que estão prestes a arrancar na Bielorrússia, e para os Jogos Olímpicos de Tóquio (Japão) no ano seguinte.

 

A cargo da empresa da Maia, que em abril vendeu 51% do segmento das encomendas (Expresso) aos Correos espanhóis por 11 milhões de euros, vão ficar todas as operações de logística e transporte – aéreo, marítimo, terrestre e formalidades aduaneiras – dos equipamentos e materiais desportivos usados pelos atletas das várias modalidades, como canoagem, ciclismo ou tiro com arco.

 

Numa nota de imprensa em que não divulga os valores envolvidos neste contrato, o CEO da Rangel destacou que a operadora também vai "competir para o ouro". "Fomos escolhidos pelo COP, pois também "jogamos" em todas as modalidades na área da logística e transporte (…) e [temos] capacidade para assegurar um evento desta dimensão e responsabilidade", garante Nuno Rangel.

 

As formalidades aduaneiras no Japão serão tratadas pela Rangel Logistics Solutions.
As formalidades aduaneiras no Japão serão tratadas pela Rangel Logistics Solutions.



Com uma delegação de 99 atletas em 13 modalidades, é nestes Jogos Europeus que os atletas vão tentar a qualificação para as Olimpíadas do verão seguinte no Japão. O líder do Comité português, José Manuel Constantino, destacou o acordo com uma operadora "com um capital de conhecimento e experiência internacionais que são uma garantia para o conjunto de operações logísticas que envolvem as missões olímpicas nas diferentes competições internacionais".

 

O conhecimento e experiência internacionais são uma garantia para o conjunto de operações logísticas que envolvem as missões olímpicas nas diferentes competições internacionais. José Manuel Constantino, Presidente do Comité Olímpico de Portugal

Em 2018, o volume de negócios do grupo Rangel ascendeu a 175 milhões de euros, com o mercado doméstico a representar 85% do negócio. De acordo com os dados oficiais, soma 23 mil clientes em cinco países e emprega cerca de 1.500 pessoas, gerindo 250 mil metros quadrados de operações logísticas.

 

Como o Negócios adiantou, a empresa nortenha investiu 8,5 milhões de euros em Braga com "garantia" Bosch, depois de vencer um concurso para fazer a gestão logística da fábrica minhota da multinacional alemã. Inaugurada em fevereiro, nesta nova plataforma com 6.500 metros quadrados perspetiva uma operação de dez milhões de euros em cinco anos.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI