Bolsa Acções da Nintendo têm a maior queda desde 1990

Acções da Nintendo têm a maior queda desde 1990

Após a euforia, a preocupação de que a subida das acções tenha ido longe demais. Os títulos perderam 18% na bolsa de Tóquio, após a empresa ter dito que o Pokémon Go teria um impacto limitado.
Acções da Nintendo têm a maior queda desde 1990
Reuters
Rui Barroso 25 de julho de 2016 às 08:53

A febre do Pokémon Go contagiou as acções da Nintendo nas últimas semanas. A euforia em torno do jogo de realidade aumentada levou as acções da empresa nipónica a duplicar de valor e a capitalização bolsista a aumentar 2,46 biliões de ienes (21,15 mil milhões de euros) em menos de duas semanas.

Mas a subida a pique do valor dos títulos obrigou a gestão da Nintendo a deitar água na fervura, terminando com o entusiasmo. As acções perderam esta segunda-feira 17,72% para 23.220 ienes, a maior descida diária desde 1990, segundo a Bloomberg. Só na sessão desta segunda-feira, o valor de mercado da empresa caiu 708 mil milhões de ienes (cerca de seis mil milhões de euros). A Nintendo é agora avaliada pelos investidores em 3,29 biliões de ienes (28,24 mil milhões de euros).

Num comunicado divulgado na passada sexta-feira, após o fecho do mercado no Japão, a Nintendo referiu que apesar do sucesso do Pokémon Go não iria para já fazer uma revisão em alta das estimativas para as receitas e para os lucros. E avisou que o impacto da aplicação nas suas contas seria limitado.

Em simultâneo, à medida que as acções valorizavam de forma significativa, houve investidores que começaram a abrir posições cada vez maiores para lucrar com uma eventual desvalorização, apostando que a subida tinha ido para além do razoável.

A Nintendo tem uma participação na Niantic, a criadora do Pokémon Go, e também na The Pókemon Company. A dimensão das posições não é pública, mas os analistas da Macquarie estimam uma participação económica efectiva de apenas 13% na aplicação. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI