Bolsa Altice afunda 14% após baixar estimativas de resultados

Altice afunda 14% após baixar estimativas de resultados

O EBITDA do segundo trimestre até ficou ligeiramente acima do esperado, mas a dona da Meo alertou que os custos para angariar novos clientes vão penalizar o "cash flow" do ano, levando as acções a fortes quedas.  
Altice afunda 14% após baixar estimativas de resultados
Miguel Baltazar
Nuno Carregueiro 02 de agosto de 2018 às 10:04

A Altice Europe negoceia em forte queda na bolsa de Amesterdão, reagindo de forma negativa ao facto da empresa ter cortado as estimativas para a totalidade do ano, em resultado dos custos mais acentuados para angariar novos clientes.

 

As acções da empresa que em Portugal controla a Meo estão a recuar 13,76% para 2,482 euros. Habitualmente muito voláteis, as acções da Altice Europe acumulam ainda assim uma valorização de 38% este ano. A capitalização bolsista da empresa de Patrick Drahi (na foto) está nos 4 mil milhões de euros.

 

Esta reacção negativa acontece depois da Altice Europe ter anunciado os resultados do segundo trimestre. O mais desiludiu os investidores foi a revisão em baixa das metas de resultados para a totalidade do ano, que vão ser impactadas pelos custos mais elevados que a empresa vai ter no esforço para aumentar a base de clientes.

 

O "free cash flow" da unidade francesa da Altice Europe, a SFR, vai ficar no ponto mais baixo do intervalo anteriormente definido, entre 1,5 e 1,6 mil milhões de euros.

 

A Altice angariou 280 mil novos subscritores em França, sendo este o segundo trimestre consecutivo de crescimento significativo da sua base de clientes neste que é o seu principal mercado na Europa. Mas este crescimento foi conseguido à custa de um capex (investimento operacional) mais elevado, o que está a ser mal recebido no mercado.

 

"Parece a que a recuperação da SFR ainda é conduzida por elevados custos de aquisição de clientes", diz à Bloomberg o analista Bryan Garnier, da Thomas Coudry, assinalando que a tendência das receitas em França ainda é motivo de preocupação.

 

Também no mercado português se denotou a mesma tendência, pois pela primeira vez em cinco anos a Meo conseguiu aumentar o número de clientes no segmento particular (obteve 6 mil adições líquidas), mas o capex aumentou 6% para 106 milhões de euros.

 

A unidade portuguesa da Altice registou uma queda homóloga de 12% no EBITDA, para 222 milhões de euros. As receitas atingiram 516 milhões de euros, o que corresponde a uma queda de 5,4% face ao período homólogo e uma subida de 1,8% contra os primeiros três meses deste ano.

 

A nível global, a Altice Europe viu o EBITDA cair 10% no segundo trimestre, para 1,32 mil milhões de euros, o que ficou ligeiramente acima dos 1,30 mil milhões de euros estimados pelos analistas inquiridos pela Bloomberg. A dívida líquida ficou estável em 31,7 mil milhões de euros.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI