Bolsa BCP, JM e Galp sobem 2% e dão ganhos de mais de 1% ao PSI-20

BCP, JM e Galp sobem 2% e dão ganhos de mais de 1% ao PSI-20

A bolsa nacional acompanhou os ganhos das congéneres europeias, animadas pela garantia de mais estímulos do BCE e pela expectativa de progressos na resolução da guerra comercial.
BCP, JM e Galp sobem 2% e dão ganhos de mais de 1% ao PSI-20
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 18 de junho de 2019 às 16:52

O principal índice nacional acompanhou o sentimento positivo das praças europeias esta terça-feira, 18 de junho, e fechou a sessão com uma subida de 1,22% para 5.125,30 pontos. 13 cotadas subiram, três desceram e duas encerraram inalteradas, nesta sessão em que a maioria das bolsas europeias valoriza mais de 1%.

 

A impulsionar o sentimento dos investidores esteve a garantia de Mario Draghi de que o BCE poderá avançar com mais medidas de estímulo à economia, incluindo uma descida dos juros. As palavras do presidente da autoridade monetária não só animaram as ações como afundaram os juros dos países da Zona Euro, em muitos casos para novos mínimos históricos.

 

Além disso, Donald Trump anunciou que já há responsáveis dos Estados Unidos e das China a prepararem a reunião que terá com o presidente chinês Xi Jinping à margem da cimeira do G20 – uma reunião aprofundada, segundo Trump – aumentando o otimismo dos investidores em relação a potenciais progressos na resolução da guerra comercial.

 

A somar a isto, também os países da OPEP fizeram progressos em relação ao encontro em que poderão acordar uma extensão dos cortes na produção, levando a uma forte subida dos preços do petróleo, e consequente valorização das cotadas da energia.  

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, valoriza 1,66% para 384,74 pontos.

 

Por cá, foram os pesos pesados a determinar os ganhos do índice nacional, como é o caso do BCP, Galp Energia e Jerónimo Martins. O banco liderado por Miguel Maya subiu 2,26% para 25,77 cêntimos, a Jerónimo Martins ganhou 2,43% para 14,545 euros e a petrolífera somou 1,83% para 13,105 euros, depois de ter chegado a negociar em mínimos de novembro de 2016, nos 12,695 euros.

 

Ainda na energia, a EDP ganhou 1,47% para 3,460 euros e a EDP Renováveis encerrou inalterada nos 9,09 euros.

 

A impulsionar os ganhos estiveram ainda as cotadas do setor do papel, que beneficiam da subida do dólar face ao euro. A Semapa, que chegou a tocar em mínimos de novembro de 2016, valorizou 0,33% para 12 euros, a Navigator somou 1,12% para 3,244 euros e a Altri subiu 1,90% para 6,165 euros.

 

Do lado das perdas ficaram os CTT, a Nos e a Sonae Capital. A empresa de correios, que tocou num novo mínimo histórico de 2,072 euros, fechou o dia a perder 0,19% para 2,108 euros, a Nos caiu 0,44% para 5,715 euros e a Sonae Capital deslizou 0,67% para 74 cêntimos.




Marketing Automation certified by E-GOI