Bolsa BCP e Jerónimo Martins levam PSI-20 a perder 1,5%

BCP e Jerónimo Martins levam PSI-20 a perder 1,5%

A bolsa nacional encerrou em queda depois de duas sessões de ganhos, acompanhando a tendência negativa das principais praças europeias. Por cá, o BCP foi a cotada que mais pressionou, com uma desvalorização de 6%.
BCP e Jerónimo Martins levam PSI-20 a perder 1,5%
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 15 de março de 2016 às 16:45

A bolsa nacional encerrou em queda esta terça-feira, 15 de Março, após duas sessões de fortes ganhos. O PSI-20 desceu 1,53% para 5.003,19 pontos, com 14 cotadas em queda e apenas três em alta.

Lisboa acompanhou a tendência negativa das principais praças europeias, que seguem no vermelho penalizadas pelas energéticas e pelas empresas produtoras de matérias-primas. As bolsas do Velho Continente valorizaram nas duas últimas sessões, animadas pelo pacote inesperado de estímulos do Banco Central Europeu (BCE), anunciado na passada quinta-feira.

O índice de referência para a Europa cai 1,13% para 340,76 pontos, depois de, na quinta-feira, ter chegado a negociar em máximos de dois meses.

Só a bolsa de Atenas contrariou a tendência, com uma subida de 2,85%. Por outro lado, os ibéricos PSI-20 e IBEX (-1,69%) lideram as perdas.

Na bolsa nacional, o BCP e a Jerónimo Martins foram as cotadas que mais pressionaram o PSI-20. Depois de ter valorizado mais de 20% nas três últimas sessões, o banco liderado por Nuno Amado caiu 6,03% para 4,36 cêntimos. Já o BPI desceu 2,09% para 1,219 euros.

A Jerónimo Martins, que avisou, esta terça-feira, que a Colômbia não terá rentabilidade positiva até 2018, recuou 1,63% para 13,59 euros, enquanto a sua congénere do retalho, a Sonae, subiu 0,10% para 1,017 euros.

Na energia, a EDP Renováveis recuou 2,34% para 6,397 euros, numa sessão onde o sector da energia não seguiu um rumo definido. A EDP ganhou 0,3% para 2,99 euros, a REN subiu 0,36% para 2,79 euros e a Galp Energia desvalorizou 0,7% para 10,68 euros.

A petrolífera anunciou esta manhã que reduziu em 15% o montante que pretende investir até 2020, e que vai distribuir um dividendo de 0,41 euros referente aos resultados do exercício de 2015. Uma remuneração que representa um crescimento de 20% face ao dividendo distribuído do ano anterior. A empresa comandada por Carlos Gomes da Silva anunciou também que vai dar início à pesquisa de petróleo no mar do Alentejo este ano.

A Nos recuou 2,05% para 6,12 euros e a pahrol afundou 6,47% para 13 cêntimos, um novo mínimo histórico. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI