Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

EDP regressa à negociação em queda e conduz PSI-20 para o vermelho

A suspensão da negociação das ações da EDP e da EDPR foi levantada pela CMVM. Os títulos continuam no vermelho depois da suspensão de funções dos CEO.

A carregar o vídeo ...
Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 07 de Julho de 2020 às 08:15
  • Assine já 1€/1 mês
  • 11
  • ...

A bolsa portuguesa abriu em queda, num início de sessão marcado pelo regresso à negociação das ações da EDP e EDP Renováveis, que ontem tinham sido suspensas pela CMVM devido à suspensão de funções dos CEO das duas companhias.

 

As ações da EDP descem 1,31% para 4,288 euros e as ações da EDP Renováveis caem 0,64% para 12,46 euros.

 

Os títulos tinham sido suspensos de negociação pouco antes do fecho da sessão de ontem, numa altura em que caiam mais de 2%, devido às notícias que davam conta que o juiz Carlos Alexandre decidiu validar a pretensão do Ministério Público (MP) de agravamento das medidas de coação de António Mexia, presidente executivo da EDP, e João Manso Neto, CEO da EDP Renováveis, impondo a suspensão das funções dos dois gestores.

 

Já depois do fecho da sessão a EDP e a EDPR enviaram comunicados ao mercado a confirmar a suspensão de funções, anunciando também novos CEO interinos. Miguel Stilwell d'Andrade, até agora "chief financial officer" (CFO) da EDP, foi o nome escolhido para substituir Mexia. Na EDPR é Rui Teixeira que fica com o lugar de Manso Neto.

 

Os analistas contactados pelo Negócios antecipam que se mantenha a pressão sobre as ações da EDP, argumentando que a preocupação dos investidores está agora focada em potenciais mudanças na gestão das duas empresas.

  

"Estamos a olhar com preocupação este caso, uma vez que o impacto nas ações pode ser catastrófico", realça Pedro Amorim, ao Negócios. Para o analista da Infinox, "António Mexia e Manso Neto são gestores reconhecidos mundialmente pelas suas qualidades e, neste momento, o mercado começa a reconhecer a saída destes dois gestores à frente da EDP/EDPR".

 

Paulo Rosa, economista do Banco Carregosa, também destaca o impacto negativo nas ações, acrescentando que "a incerteza em relação à decisão do juiz sobre as suspensões de funções do CEO da EDP poderá comprometer a execução do plano de negócios". 

 

PSI-20 segue Europa

 

Com o Grupo EDP em queda, o PSI-20 também arrancou o dia em terreno negativo, com uma queda de 0,8% para 4.372,01 pontos e a ser pressionado por 13 cotadas em queda.

 

A bolsa portuguesa segue o desempenho das congéneres europeias, numa sessão em que as ações corrigem do máximo de um mês que atingiram na véspera.

 

Ainda a pressionar o PSI-20 estão as ações do BCP (-1% para 0,1089 euros) e da Galp Energia (-1,23% para 10,42 euros).

Ver comentários
Saber mais bolsa PSI-20 mercados EDP CMVM; EDPR
Mais lidas
Outras Notícias