Weekend À descoberta do Céu

À descoberta do Céu

O L’ Astronomo da Panerai foi uma das boas surpresas do SIHH de Genebra deste ano. Uma criação dedicada ao génio de Galileu Galilei.
À descoberta do Céu
Fernando Sobral 17 de fevereiro de 2018 às 12:00
É longa e sólida a relação da Panerai com o mar, mas também com a história italiana. E uma das boas surpresas do SIHH de Genebra deste ano foi a apresentação do L'Astronomo, um Luminor 1950 Tourbillon Moon Phases Equation of Time GMT - 50 mm. Trata-se de um relógio no qual se cruzam a inovação e a alta relojoaria, numa criação dedicada ao génio de Galileu Galilei. A caixa Luminor 1950, cujo design pertence à fascinante história da Officine Panerai, abriga uma concentração de soluções técnicas que demonstram a capacidade que a marca florentina tem de interpretar complicações tradicionais de uma forma sempre distintiva, trazendo inovação ao mundo da alta relojoaria desportiva.

O primeiro relógio Panerai L'Astronomo foi apresentado em 2010 por ocasião do 400.º aniversário da invenção do telescópio por Galileu, que permitiu a observação do corpo celestial. Foi o primeiro relógio criado pela Panerai com um regulador de tourbillon, calendário, indicação de equação do tempo e exibição da hora do nascer e pôr-do-sol. À semelhança do seu antecedente, o novo L'Astronomo - Luminor 1950 Tourbillon Moon Phases Equation of Time GMT é feito sob encomenda e o movimento esqueletizado P.2005/GLS (acrónimo de Galileo Luna Scheletrato) é personalizado para operar de acordo com as coordenadas geográficas de um local escolhido pelo cliente.

Graças à invenção do telescópio, Galileu fez descobertas revolucionárias no âmbito da aparência e do movimento da Lua. Esboçou desenhos únicos daquilo que via com uma precisão e atenção ao detalhe que ainda hoje são impressionantes. Assim sendo, num relógio dedicado a ele, nada seria mais lógico do que um indicador das fases da Lua, uma complicação clássica de alta relojoaria que a Panerai interpreta à sua maneira e com a precisão de um século. No fundo do novo movimento P.2005/GLS do relógio L'Astronomo, encontra-se um indicador noite/dia, que também exibe as fases da Lua, através de um sistema que consiste em dois discos sobrepostos que giram em combinação. O disco superior, que é lido por um pequeno indicador externo fixado no movimento, apresenta as 24 horas do dia, exibindo o Sol durante o dia e as estrelas do céu durante a noite. No centro do céu estrelado encontra-se uma janela redonda através da qual o disco inferior pode ser visto. Neste, aparece a Lua, cuja forma evolui de dia para dia graças a uma pequena rotação suplementar do disco de cerca de 6,1º por dia, um ângulo que tem por base a duração exacta do ciclo lunar (uma média de 29 dias, 12 horas, 44 minutos e 3 segundos).

Às seis horas encontra-se o indicador linear da equação de tempo, que apresenta a diferença entre a hora actual (hora solar) e a hora convencional em cada dia, e este período tem um intervalo de 15 minutos a mais ou a menos, de acordo com a altura do ano. Uma proposta muito atraente.

Vencedores

Na altura em que estamos a ver os Jogos Olímpicos de Inverno, a Omega apresenta um novo trio de relógios, conhecidos como "Seamaster Olympic Games Gold Collection". Algo que tem que ver com a sua relação histórica com estes desportos: a Omega assumiu o seu papel de Cronometrista Oficial dos Jogos Olímpicos em 1932. Desde então, a marca desempenhou essa função em múltiplas ocasiões e pretende continuar até, pelo menos, 2032, assinalando 100 anos completos de ligação a este evento.

Como tributo a este legado histórico, três tipos diferentes de ouro foram utilizados para os três relógios desta nova colecção especial, com caixas de 39,5 mm em ouro amarelo de 18K, ouro 18K Sedna e ouro 18K Canopus. Uma novidade para a marca, a utilização de Canopus, uma exclusiva liga de ouro branco, 100% nobre e que se distingue pelo seu brilho, brancura e longevidade. O ouro de 18K é também usado nos ponteiros em forma de folha e aplicado nos índices de cada relógio. Os mostradores abobadados em esmalte branco apresentam o logotipo Omega vintage, uma escala de minutos e a gravação da palavra "Seamaster" também em esmalte.

No fundo das caixas, a Omega honra o seu legado ao incluir um anel em ouro de 18K, que exibe todas as cidades anfitriãs e datas dos Jogos Olímpicos desde que a marca iniciou a sua jornada neste evento, de Los Angeles 1932 até Los Angeles 2028. Os relógios podem ser comprados separadamente e são apresentados com bracelete em pele castanha ou preta. No seu interior, cada peça é alimentada pelo calibre Master Chronometer 8807. Para alcançar a certificação Master Chronometer, os relógios e os seus movimentos passaram por oito rigorosos testes definidos pelo METAS (o Swiss Federal Institute of Metrology).