Ambiente Portugal funcionou 69 horas consecutivas através de fontes renováveis

Portugal funcionou 69 horas consecutivas através de fontes renováveis

Durante três dias seguidos, o consumo de electricidade em Portugal Continental foi alimentado por recursos renováveis, de acordo com a Associação Portuguesa de Energias Renováveis (APREN).
Portugal funcionou 69 horas consecutivas através de fontes renováveis
Raquel Murgeira 14 de março de 2018 às 17:16

Portugal Continental funcionou integralmente, a nível eléctrico, durante três dias seguidos, somente através de fontes renováveis. Entre as 16 horas de sexta-feira, dia 9 de Março, e as 13 horas de segunda-feira, 12 de Março, o consumo de electricidade em Portugal operou inteiramente em função de recursos renováveis, segundo dados divulgados esta quarta-feira, 14 de Março, pela APREN. 

 

De acordo com os dados das Redes Energéticas Nacionais (REN), "a electricidade de origem renovável produzida naquele período foi de 521 GWh, enquanto o consumo eléctrico nacional foi de 408 GWh", salienta ainda o comunicado. Neste espaço de tempo em que o consumo eléctrico em Portugal foi feito através de recursos renováveis, o grande destaque vai para as centrais eólicas nacionais, que conseguiram abastecer o consumo eléctrico do país em 65% do período.

Esta prática ocorreu num período de Inverno, onde a chuva e o vento são predominantes, o que permitiu que Portugal Continental operasse electricamente três dias consecutivos com recursos renováveis. Isto torna cada vez mais imperativo "fomentar e avaliar as mais-valias do aproveitamento da energia solar fotovoltaica. Deste modo, há potencial para que na época de Verão seja possível alcançar contribuições significativas de fontes de energia não emissoras de gases de efeito de estufa", sublinha o comunicado da Associação Portuguesa de Energias Renováveis.

As centrais renováveis em Portugal, sejam elas hídricas, eólicas, solares, geotérmicas ou de biomassa, produzem por ano uma média de 54% das necessidades eléctricas nacionais. Isto permite que seja possível reduzir as importações de combustíveis fósseis em perto de 750 milhões de euros por ano.

Além de poupanças a nível financeiro, o sector renovável nacional já criou um cluster industrial responsável por "mais de 56 mil empregos, directos e indirectos e por uma exportação de equipamentos, aerogeradores, painéis fotovoltaicos e componentes eléctricas e electromecânicas, que ascende a 400 milhões de euros por ano" refere o comunicado difundido esta quarta-feira.

Já em 2016, Portugal tinha realizado o mesmo feito, mas por um período mais longo. Durante 107 horas consecutivas, as renováveis asseguraram todo o consumo em Portugal Continental. Foram mais de quatro dias com electricidade produzida exclusivamente a partir de energias renováveis. A chuva e o vento foram também aqui os únicos motores da energia em Portugal, sem necessidade de recorrer a carvão ou a gás natural. 





A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
julio 14.03.2018

Oh Anónimo da "Mentira da APREN"
Tu não entendes ou fazes que não entendes!!???
Claro que ninguém desligou as centrais termoelétricas!! Essa é boa!!
O que acontece é que as renováveis, para além das termoelétricas estarem a produzir, foram capazes de alimentar o consumo sozinhas e ainda sobrou

Jaime 14.03.2018

Claro, com a chuva que houve, há muita produção de energia hidroelétrica. E o vento ajuda.

Judas a cagar no deserto 14.03.2018

Estava ligado ao cú do Sr Primeiro Ministro ?

Anónimo 14.03.2018

Mentira da APREN. Nas datas referidas segundo o site da REN, havia a central de Sines, Tapada do Outeiro e a de Lares a trabalhar nas horas referidas.

ver mais comentários
pub