Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Só três concelhos e uma freguesia marcam passo no desconfinamento, país em calamidade até 30 de maio

Com a generalidade do país "claramente no nível verde", o Governo decidiu que apenas três concelhos e uma freguesia de Odemira vão continuar atrasados no processo de desconfinamento. A maior parte do país continua em situação de calamidade até 30 de maio, enquanto 12 concelhos ficam vão viver em situação de alerta.

David Santiago dsantiago@negocios.pt 13 de Maio de 2021 às 16:03
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A evolução favorável da pandemia faz com que o país esteja "claramente no nível verde" da matriz de risco, o que permite que haja agora mais concelhos a acompanharem a generalidade do território continental no processo de desconfinamento.

No final do Conselho de Ministros realizado esta quinta-feira, Mariana Vieira da Silva fez questão de salientar que o conjunto do país regista agora um "decréscimo muito significativo dos níveis de incidência" da covid-19 para um valor inferior a 50 novos casos por 100 mil habitantes em 14 dias e que a taxa de transmissão medida pelo R(t) se fixa em 0,92 (abaixo do limite de 1).
Estão assim reunidas as "condições para continuar com o conjunto de medidas [de desconfinamento] que tínhamos aprovado", salientou a ministra de Estado e da Presidência, notando que neste encontro do Governo foram feitos "acertos" à anterior resolução do Conselho de Ministros para que em todos os concelhos que se encontram na última fase da reabertura possam ser retomadas as atividades dos grupos itinerantes de diversão, dos parques infantis que não os parques infantis públicos (estes já haviam retomado atividade) e dos parques aquáticos".

Outra mudança agora aprovada consiste na "alteração aos horários das atividades desportivas", sublinhou Vieira da Silva, precisando que em vez do limite de horário até às 21:00 durante a semana e até às 19:00 ao fim de semana, estas poderão ser praticadas "até às 22:30" sete dias por semana, pelo que em linha com os horários em vigor para a restauração e as atividades culturais. 

A ministra adiantou ainda que a maior parte do país continuará a viver em situação de calamidade até às 23:59 do próximo dia 30 de maio, embora 12 concelhos fiquem em situação de alerta: Albufeira, Alvaiázere, Castelo de Paiva, Fafe, Golegã, Melgaço, Montalegre, Oliveira do Hospital, Torres Vedras, Vale de Cambra, Vila Nova de Poiares, Odemira. Destes municípios, sete já estavam em situação de alerta, sendo que há cinco que passam a estar e 14 que deixaram este nível de maior gravidade previsto pela Lei de Bases da Proteção Civil.

Resende não avança, Arganil e Lamego recuam
São assim três os concelhos que marcam passo: Resende (não avança), Arganil e Lamego (estes dois recuam). A que se junta uma freguesia de Odemira (São Teotónio). Enquanto a freguesia de São Teotónio e o concelho de Resende ficam na 2.ª fase do desconfinamento (que teve início a 5 de abril), Arganil e Lamego "regridem" para as regras de 19 de abril.

Ou seja, levantada que está a cerca sanitária nas duas freguesias de Odemira, a freguesia de Longueira/Almograve acompanha agora o resto do país. Já São Teotónio, devido à manutenção de um elevado número de novos casos, os quais estão "identificados e confinados", asseverou a ministra da Presidência, avança ainda assim das regras de 15 de março para as de 5 de abril, o que, em traços gerais, possibilita a abertura de lojas e a permanência em esplanadas. As demais 11 freguesias de Odemira permanecem no nível em que estavam, no entanto o concelho persiste em alerta porque não obstante a situação epidemiológica permitir "estes avanços", há "dados de preocupação" que se mantêm.

Mariana Vieira da Silva sinalizou também que Carregal do Sal, Cabeceiras de Basto e Paredes podem avançar no desconfinamento, pelo que "mesmo os concelhos que tinham acabado de recuar" conseguiram rapidamente recuperar, em apenas uma semana. A ministra quis "saudar particularmente" estes três municípios, "que puderam avançar no desconfinamento graças às medidas das autoridades locais de saúde, das câmaras munciiapis, das empresas e dos cidadãos, e isso é de assinalar".

"Temos uma larga maioria do país com regras comuns e apenas em alguns concelhos regras anteriores", regozijou-se realçando que há "mais concelhos a sair de níveis acima de 120 (novos casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias) do que a entrar", o que representa um "retrato da melhoria geral do país".

Concelhos que não avançam para o último patamar do desconfinamento:

Resende (fica nas regras de 5 de abril em que já estava)
Odemira (a freguesia de São Teotónio dá passo em frente para as regras de 5 de abril)
Arganil (regras de 19 de abril)
Lamego (regras de 19 de abril)

(Notícia atualizada)
Ver comentários
Saber mais Conselho de Ministros
Outras Notícias