Educação Governo diz que devolver todo o serviço congelado aos professores é “incomportável”

Governo diz que devolver todo o serviço congelado aos professores é “incomportável”

A recuperação de mais de nove anos custa 1.154 milhões por ano, segundo as contas do Governo, que assume ser “financeiramente incomportável” satisfazer as exigências dos sindicatos, escreve esta sexta-feira o Correio da Manhã.
Governo diz que devolver todo o serviço congelado aos professores é “incomportável”
manifestação professores manif
Negócios 02 de março de 2018 às 09:43

Segundo o Executivo, satisfazer as exigências dos sindicatos de devolução do tempo de serviço congelado a cerca de 100 mil professores durante mais de nove anos é "financeiramente incomportável" e "não apresenta factores de sustentabilidade e compatibilização com recursos disponíveis".

 

A justificação, noticiada esta sexta-feira, 2 de Março, pelo Correio da Manhã, consta de um documento entregue aos jornalistas após a reunião de ontem com os sindicatos dos professores. A reposição seria feita de forma faseada até 2023, ano em que passaria a haver um impacto financeiro permanente próximo dos 1.154 milhões de euros por ano, pelas contas da tutela.

 

Com o descongelamento já em curso, o gasto será de 519 milhões de euros também a partir de 2023.

 

Os sindicatos exigem a reposição de nove anos, quatro meses e dois dias de serviço congelado e consideram que é "um insulto" a proposta do Executivo, de repor dois anos e dez meses do tempo de serviço congelado.




Saber mais e Alertas
pub