Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Marcelo não comenta proposta do Governo de nomear Centeno para liderar BdP

O primeiro-ministro escreveu esta quinta-feira ao presidente da Assembleia da República a comunicar a proposta do Governo para nomear o ex-ministro das Finanças Mário Centeno para o cargo de governador do Banco de Portugal.

RODRIGO ANTUNES
Lusa 26 de Junho de 2020 às 00:16
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...
O Presidente da República escusou-se a comentar a proposta do Governo para nomear o ex-ministro das Finanças Mário Centeno para o cargo de governador do Banco de Portugal, alegando que o soube através da comunicação social.

As declarações de Marcelo Rebelo de Sousa ocorreram no final da distribuição de refeições e contacto com sem-abrigo apoiados pelos voluntários da organização "Coração na Rua", com que hoje concluiu o primeiro de dois dias no Porto.

"Não comento. Vi-a [a informação] nas notícias, portanto não vou comentar. Agradeço muito à comunicação social o ter transmitido, mas não vou comentar (...) aquilo que soube através da comunicação social", limitou-se a afirmar o chefe de Estado quando confrontado com a proposta do Governo, liderado pelo socialista António Costa.

O primeiro-ministro escreveu esta quinta-feira ao presidente da Assembleia da República a comunicar a proposta do Governo para nomear o ex-ministro das Finanças Mário Centeno para o cargo de governador do Banco de Portugal.

"É intenção do Governo, na sequência de proposta do senhor ministro de Estado e das Finanças [João Leão], designar o professor doutor Mário Centeno para o cargo de governador do Banco de Portugal", lê-se na missiva enviada por António Costa a Ferro Rodrigues.

Na mesma carta, à qual a agência Lusa teve acesso, o primeiro-ministro pede depois que "seja requerida a audição do indigitado na comissão parlamentar competente, nos termos do disposto na lei orgânica do Banco de Portugal".

Hoje, no final do Conselho de Ministros, António Costa afirmou que já transmitira aos partidos com representação parlamentar a intenção do Governo em relação à sucessão de Carlos Costa no cargo de governador do Banco de Portugal.

"Já tive a oportunidade de ter um contacto telefónico diretamente entre mim e o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares [Duarte Cordeiro]. Já falámos com todos os partidos para os ouvir sobre a matéria. Transmitimos qual a nossa intenção", referiu o primeiro-ministro.

Em 09 de junho, o Presidente da República aceitou a exoneração de Mário Centeno como ministro de Estado e das Finanças, proposta pelo primeiro-ministro, e a sua substituição por João Leão.

Dois dias depois, Mário Centeno remeteu para o Governo a decisão sobre quem será o próximo governador do Banco de Portugal, mas admitiu que é um cargo que qualquer economista gostaria de desempenhar.

Em entrevista à RTP, Mário Centeno admitiu ter falado desse assunto com o primeiro-ministro, mas salientou que a escolha do sucessor de Carlos Costa "é uma competência do Governo", lembrando apenas que é funcionário do Banco de Portugal (BdP).

Em 15 de junho, o primeiro-ministro afirmou que Mário Centeno é uma hipótese para desempenhar as funções de governador do Banco de Portugal, dizendo que tem todas as competências pessoais e profissionais para o exercício desse cargo.
Ver comentários
Saber mais Marcelo Rebelo de Sousa Mário Centeno Banco de Portugal Carlos Costa António Costa João Leão política
Mais lidas
Outras Notícias