Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PS: Moção de Pedro Nuno Santos quer Estado como factor de desenvolvimento

As eleições directas para o cargo de secretário-geral do PS começaram na sexta-feira e terminam este sábado. De 25 a 27 deste mês, decorre na Batalha o Congresso do partido.

Miguel Baltazar
Lusa 12 de Maio de 2018 às 14:04
  • Assine já 1€/1 mês
  • 13
  • ...
O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos, é um dos subscritores de uma moção sectorial ao congresso nacional do PS em que se defende que o Estado deve fomentar o "desenvolvimento e inovação socio-económica", avança a agência Lusa.


No texto da moção "Por uma social-democracia da Inovação", subscrita por Pedro Nuno Santos, o vice-presidente da câmara de Lisboa, Duarte Cordeiro, analisa o "forte retrocesso político" da social-democracia na Europa e coloca como excepção o caso português, um Governo do PS com o apoio da esquerda.


"A social-democracia não se deve circunscrever à ideia que ao Estado cabe apenas a responsabilidade de proteger os mais fracos e reduzir desigualdades", afirma-se na moção, também assinada pelos militantes Hugo Mendes, João Jesus Caetano e Marina Gonçalves.


Para os autores desta moção sectorial, a ser discutida no congresso nacional do PS na Batalha, distrito de Leiria, de 25 a 27 de Maio, o Estado "deve, na sua acção, ser um mecanismo de redistribuição de rendimentos e de protecção social, mas também de desenvolvimento e inovação socio-económica".


O "debate relevante dentro da social-democracia" deve passar por olhar o Estado pelo seu "papel activo", com "visão estratégica" para, "em coordenação com o investimento privado, acelerar a transformação estrutural da economia, assegurando que a inovação é posta ao serviço do bem-estar social e ambiental e da coesão territorial".


O PS, lê-se ainda na moção, "mostrou que tinha razão quando defendeu a viragem da página da austeridade" desde que, em 2015, lidera o Governo com o apoio dos partidos da esquerda.


"Está na altura de disputar – e ganhar – o debate sobre a criação sustentável de riqueza, (re)pensando o papel do Estado e das políticas de inovação", escrevem ainda os autores da moção subscrita por Pedro Nuno Santos, que, no Governo, faz a ligação entre o Executivo e os partidos à esquerda, PCP, BE e PEV.


As eleições directas para o cargo de secretário-geral do PS começaram na sexta-feira e terminam este sábado, seguindo-se, de 25 a 27 deste mês, na Batalha (Leiria), o 22.º Congresso Nacional.


Além do actual secretário-geral, António Costa, candidata-se também à liderança do partido, nestas eleições directas, o dirigente Daniel Adrião, que formalizou a candidatura em 23 de Abril.

Ver comentários
Saber mais PS eleições directas Congresso Pedro Nuno Santos António Costa
Mais lidas
Outras Notícias