Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Fraude nos apoios aos pais: Segurança Social avisa que há multas de 12.500 euros

Estas coimas por falsas declarações podem ser aplicadas a pais e a empresas. Fraudes com o apoio criado por causa do encerramento de escolas podem ainda levar a sanções por burla tributária, indicam o Instituto da Segurança Social e a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), num comunicado conjunto.

Reuters
  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...

Preocupados com denúncias de fraude nos novos apoios aos pais, o Instituto da Segurança Social (ISS) e a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) divulgaram um comunicado conjunto onde avisam que, caso os critérios não sejam respeitados, serão acionadas medidas legais e aplicadas coimas que podem chegar aos 12.500 euros, tanto a trabalhadores como a empresas, podendo ainda ser aplicada uma sanção penal por burla tributária.

Em causa está o novo apoio criado para os pais que ficam em casa por causa do encerramento das escolas, que corresponde a 66% do vencimento base, com o limite mínimo de 635 euros e máximo de 1.905 euros, mas que só pode ser atribuído quando as pessoas não estão em teletrabalho, tal como refere o comunicado.

Por outro lado, este apoio extraordinário "não pode ser atribuído ao mesmo tempo a ambos os progenitores, não se aplica se o outro progenitor estiver em teletrabalho" e é único porque não aumenta de acordo com o número de filhos.

"Porque têm surgido denúncias de que algumas empresas e cidadãos abrangidos poderão não estar a respeitar as condições atrás referidas, alerta-se que em caso de incumprimento serão acionadas as medidas legais que se impõem e aplicadas as punições previstas para falsas declarações, que constituem contraordenação muito grave e cuja coima poderá ascender a 12.500 euros, podendo ainda ser aplicadas sanções penais por burla tributária",lê-se no comunicado.Isto, além da "restituição dos montantes devidos". 

Ao Negócios, fonte oficial do ISS clarifica que a coima pode ser aplicada tanto a trabalhadores como a empresas.

Explicam estas entidades que "para despistar" situações fraude "serão implementados procedimentos de atuação inteligente, por via de cruzamento de dados do sistema de Segurança Social, seguindo-se, sempre que a situação o justificar, a realização de ações inspetivas por parte do Departamento de Fiscalização do Instituto de Segurança Social e da Autoridade para as Condições de Trabalho".

 

É o trabalhador que preenche primeira declaração, que é enviada ao empregador, que por sua vez preenche o requerimento para a Segurança Social.

No entanto, nos termos da legislação publicada no final da semana passada, e ao contrário do que geralmente acontece com os apoios da Segurança Social, é o empregador que recebe o dinheiro, por transferência bancária. Depois, o empregador deve pagar ao trabalhador o apoio devido.

Este apoio não será pago durante as férias da Páscoa.

Ver comentários
Saber mais Autoridade para as Condições do Trabalho Instituto da Segurança Social apoios aos pais escolas fechadas escolas encerradas
Mais lidas
Outras Notícias