Banca & Finanças Paulo Macedo vai ganhar o mesmo salário de Domingues

Paulo Macedo vai ganhar o mesmo salário de Domingues

O futuro presidente da Caixa, Paulo Macedo, vai manter o salário de António Domingues, apesar da pressão política dos últimos dias para que o Governo negociasse um salário mais baixo.
Paulo Macedo vai ganhar o mesmo salário de Domingues
Correio da Manhã
O futuro presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD), Paulo Macedo, vai manter o mesmo salário que foi atribuído a António Domingues e que causou polémica, apurou o Negócios. O Governo tomou esta decisão apesar da pressão política dos últimos dias para o Executivo aproveitasse a oportunidade para negociar um salário que evitasse focos de tensão.

O salário de Paulo Macedo é o salário do presidente da Caixa, explicou fonte governamental.

António Domingues tem um salário anual de 423 mil euros, acrescido de uma remuneração variável que pode ir até 50% da componente salarial fixa e que depende dos resultados alcançados. 

Nos últimos dias, já depois de ser conhecida a saída de António Domingues da Caixa, Bloco e PCP defenderam, em declarações ao Negócios, que o Governo devia aproveitar esta oportunidade para negociar um salário mais baixo e mantiveram a posição inicial - o salário do presidente da Caixa não deve ultrapassar o do primeiro-ministro.

Também Marcelo Rebelo de Sousa fez saber, através do Expresso, que o salário do novo presidente da Caixa deveria ser inferior ao que ainda é pago a António Domingues.

Além dos parceiros do Governo, também o PSD tem criticado a remuneração do líder da Caixa, defendendo que a regra deve ser o salário do primeiro-ministro, mas admitindo excepções autorizadas pelo ministro das Finanças e que podem permitir um salário igual à média dos últimos três anos no lugar de origem. Esta proposta volta a ser discutida no Parlamento na próxima terça-feira, no âmbito de um projecto lei mais alargado, depois de ter sido chumbada durante o debate do Orçamento do Estado para 2017.

António Domingues demitiu-se da presidência da Caixa a 25 de Novembro, menos de três meses depois de ter iniciado funções.



pub